Mundo

22 de agosto de 2019 20:20

Macron diz que G7 precisa discutir incêndios na Amazônia: ‘Crise internacional’

Presidente da França disse que situação é de 'emergência'; cúpula ocorre neste fim de semana em Biarritz, sudoeste francês

↑ Emmanuel Macron, presidente da França (Foto: Reuters)

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse nesta quinta-feira (22) que a cúpula do G7 precisa discutir os incêndios na Amazônia. O encontro está previsto para este fim de semana, em Biarritz, no sudoeste francês.

Em mensagem publicada no Twitter, Macron postou uma foto de um incêndio florestal e chamou as queimadas na Amazônia de “crise internacional” e “emergência”.

“Nossa casa queima. Literalmente. A Amazônia, o pulmão de nosso planeta, que produz 20% de nosso oxigênio, arde em chamas. É uma crise internacional”, escreveu.

“Membros do G7, vamos nos encontrar daqui a dois dias para falar dessa urgência!”, completou Macron.

O G7 é composto pelos seguintes países:

Alemanha
Canadá
Estados Unidos
França
Itália
Japão
Reino Unido

Araújo diz que discute tema com a França

Momentos antes da publicação de Macron, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, disse durante reunião em Campo Grande (MS) que o Itamaraty vai criar um grupo de trabalho com a França para discutir a questão do desmatamento na Amazônia.

“As autoridades sabem qual é o nosso compromisso, com a França nós já combinamos de criar um grupo de trabalho para troca de informações, para que possamos dar as informações mais atuais sobre os esforços de combate ao desmatamento”, afirmou.

Em um comunicado em separado – que não cita o anúncio de Araújo – o chanceler francês, Jean-Yves Le Drian afirmou que a França vai investir 9 milhões de euros em um projeto de cooperação sobre a Amazônia com países da América do Sul. O lançamento está previsto para “o início de 2020”.

Secretário-geral da ONU cobra proteção

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse nesta quinta-feira estar profundamente preocupado com os incêndios florestais na floresta amazônica. Ele reforçou que não podemos mais arcar com os danos para uma das maiores fontes de oxigênio e biodiversidade.

“A Amazônia precisa ser protegida”, escreveu.

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH