Mundo

1 de agosto de 2019 15:24

Secretário de Comércio dos Estados Unidos promete apoio para reconstrução da Venezuela

Será preciso injetar capital para que o país latino-americano volte a ser funcional

↑ Secretário de Comércio americano, Wilbur L. Ross Jr., em imagem de arquivo (Foto: Brendan McDermid / Reuters)

O secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, disse nesta quinta-feira (1) que os EUA estão prontos para apoiar reformas pró-mercado e privatizações na Venezuela com crédito e investimento.

Haverá uma necessidade imediata de injeção de capital para acabar com o socialismo na Venezuela, uma vez que o governo internacionalmente reconhecido do líder da oposição, Juan Guaidó, assumir de fato, disse Ross em uma conferência sobre a reconstrução da Venezuela.

No longo prazo, a Venezuela tem 300 bilhões de barris de petróleo, ouro e outros recursos minerais para reconstruir sua economia, disse ele em uma conferência de executivos de empresas de infraestrutura em Brasília.

Ross disse que a má administração da economia pelos governos socialistas deve ser revertida. Inicialmente, disse, será preciso impulsionar a iniciativa privada e os investimentos para restaurar o crescimento sustentável com uma injeção de capital e habilidades de gestão nas indústrias de petróleo, gás e eletricidade.

Nada funciona, diz o americano

Ele liderou uma mesa redonda sobre a Venezuela em uma conferência organizada pela CG/LA, uma companhia sediada em Washington dedicada aos mercados mundiais de infraestrutura, com a participação de empresas como Oracle e Hill International .

Entre as questões discutidas estava como conseguir dinheiro para o país sul-americano para alavancar uma economia em colapso que vem encolhendo constantemente desde 2014.

“Nada está funcionando corretamente, nem o sistema de telefonia, nem o sistema de esgoto, nem o sistema de ônibus. Mais de 4 milhões de pessoas fugiram, incluindo muitos jovens profissionais”, disse Ross, apontando para uma fuga de cérebros que terá que ser reparada.

Ele disse que o banco central venezuelano precisará de uma reconstrução porque foi saqueado.

Fonte: Reuters e G1

Comentários

MAIS NO TH