Mundo

13 de março de 2019 15:43

Viena, capital da Áustria, lidera ranking de melhor qualidade de vida do mundo

Cidade europeia recebe o título pela 10ª vez consecutiva

↑ Palácio Schoenbrunn, em Viena, na Áustria (Foto: Leonhard Foeger / Reuters)

Viena foi nomeada neste ano mais uma vez a cidade com maior qualidade de vida do mundo, segundo pesquisa publicada nesta quarta-feira (13). É a décima vez consecutiva que a capital austríaca lidera o ranking elaborado pela consultoria Mercer.

Criada para auxiliar organizações internacionais a determinar níveis salariais para funcionários expatriados, a lista de 231 cidades é baseada em 39 critérios, como moradia, estabilidade política, crime, lazer, poluição do ar, infraestrutura, sistema de saúde, educação e economia.

Viena é uma das oito cidades europeias que aparecem no top 10 da lista. Em segundo lugar está Zurique, a maior cidade da Suíça, enquanto a terceira colocação foi dividida por Munique, na Alemanha, Vancouver, no Canadá, e Auckland, na Nova Zelândia.

A sexta e a sétima posições ficaram com a Alemanha: Düsseldorf e Frankfurt, respectivamente, seguidas por Copenhague, na Dinamarca, e Genebra e Basileia, na Suíça.

As cidades que ocuparam as cinco melhores posições no ranking são as mesmas da última edição. A única alteração foi Vancouver, que subiu da quinta para a terceira colocação.

Paris ficou em 39° lugar, embora o estudo, conduzido entre setembro e novembro de 2018, não tenha levado em consideração os protestos dos “coletes amarelos”, que durante vários sábados paralisaram regiões da cidade.

As cidades que ocuparam o outro extremo da tabela também se repetiram. A cidade com pior colocação foi a capital do Iraque, Bagdá, apesar dos avanços em saúde e segurança identificados pela consultoria. Bangui, capital da República Centro-Africana, ficou em penúltimo lugar, e Sanaa, capital do Iêmen, ficou uma posição acima.

Uma das grandes mudanças foi Caracas, já que a Venezuela sofre com hiperinflação, escassez de itens básicos e crise política. Segundo destacou a Mercer, Caracas “viu os padrões de vida caírem por significativa instabilidade política e econômica”.

A capital perdeu nove posições em qualidade de vida, ocupando o lugar 202, além de cair 48 posições, considerando apenas o critério segurança, e se tornar a cidade menos segura das Américas, na posição 222.

Na América do Sul, Montevidéu novamente liderou o ranking, na 78ª posição. Aparecem no top 5 da América do Sul, atrás da capital uruguaia: Buenos Aires (91), Santiago (93), Brasília (107) e Assunção (115). A qualidade de vida em cidades-chave da região se manteve similar, como nos casos de Buenos Aires, Santiago e Rio de Janeiro (118).

O Brexit não causou grandes alterações nas cidades britânicas. Londres permaneceu como a mais bem classificada geral, em 41° lugar, apesar de figurar no último posto no Reino Unido no ranking que considera o item segurança pessoal.

Dublin, classificada como mais segura do que qualquer cidade britânica, subiu uma posição e ficou em 33ª, logo acima de São Francisco, cidade americana com melhor colocação no ranking.

Segundo a consultoria, todas as cidades dos Estados Unidos incluídas na análise caíram no ranking neste ano, com exceção de Nova York, que subiu uma e chegou à 44 ª. O motivo é a queda na taxa de criminalidade na cidade.

Na Ásia, Singapura foi a cidade com melhor qualidade de vida, na 25ª posição, seguida pelas cidades japonesas Tóquio e Kobe. Hong Kong ficou em 71º, e Seul em 77º.

Fonte: DW e G1

Comentários

MAIS NO TH