Mundo

14 de fevereiro de 2019 11:11

Jornalista filipina deixa a prisão após pagamento de fiança

Maria Ressa foi acusada de 'difamação cibernética' por um artigo publicado em 2012

↑ Jornalista filipina Maria Ressa, presa sob acusação de difamação cibernética, deixou a prisão após pagar fiança — Foto: Noel Celis / AFP

A jornalista filipina Maria Ressa, diretora e editora executiva do site Rappler, deixou nesta quinta-feira (14) a prisão após o pagamento de fiança no valor de US$ 1,9 mil depois de passar a noite detida.

Ela foi acusada de difamação cibernética por um artigo sobre o empresário Wilfredo Keng, que foi publicado em 29 maio de 2012, quando ela era editora. Até o momento, nenhum mandado de prisão foi emitido contra o jornalista investigativo que escreveu o texto Reynaldo Santos — e não trabalha mais no site.

O site Rappler é conhecido por fazer duras críticas ao governo do presidente filipino, Rodrigo Duterte.

Após deixar a prisão, Ressa afirmou que a mensagem que o governo enviou foi “muito clara”: “Fique em silêncio ou você será o próximo”.

“Então, estou apelando para você para não ficar em silêncio. A liberdade de imprensa não diz respeito apenas aos jornalistas, certo? A liberdade de imprensa é a base do direito de cada filipino à verdade. Só então podemos manter os poderosos sob controle”, declarou Ressa, escolhida “Pessoa do Ano” pela revista Time em 2018 entre outros jornalistas.

A Lei dos Crimes Cibernéticos, que Ressa é acusada de ter infringido, entrou em vigor quatro meses após a sua publicação e não é retroativa, de acordo com o advogado de Maria Ressa, JJ Risini.

Este não é o único processo judicial que a jornalista enfrenta atualmente, já que em novembro do ano passado foi emitido um mandato de prisão por cinco crimes de evasão de impostos, contra a “Rappler” como empresa e contra ela, a título pessoal, segundo a agência Efe.

Maria Ressa, executiva do site Rappler, fala à imprensa após receber um mandado de prisão em seu escritório, na cidade de Pasig, nas Filipinas, nesta quarta-feira (13)  — Foto: Eloisa Lopez/ Reuters

Maria Ressa, executiva do site Rappler, fala à imprensa após receber um mandado de prisão em seu escritório, na cidade de Pasig, nas Filipinas, nesta quarta-feira (13) — Foto: Eloisa Lopez/ Reuters

A jornalista foi detida por agentes do Escritório Nacional de Investigação das Filipinas (NBI) na sede do site Rappler no fim da tarde de quarta (13).

Embora o mandato de prisão tenha sido emitido na terça-feira (12), o documento só foi entregue no fim da tarde de quarta. Segundo apoiadores de Ressa, autoridades agiram assim para que sua defesa não tivesse tempo de pagar a fiança e ela fosse obrigada a passar a noite na cadeia.

Os relatos do site sobre a guerra brutal contra as drogas de Duterte, que já deixou 5 mil mortos, costumam receber elogios de defensores dos direitos humanos. Em contrapartida, o site e seus repórteres são alvo dos partidários do governo.

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH