Mundo

1 de janeiro de 2019 18:48

Trump convida líderes do Congresso dos EUA para reunião sobre segurança de fronteira

Convite de Trump foi descrito por fontes parlamentares como “briefing” e não sessão de negociação

↑ Donald Trump (Arquivo/Reuters)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, convidou líderes do Congresso do país para uma reunião bipartidária sobre segurança de fronteira na Casa Branca, em um momento em que a paralisação parcial do governo do país entra na segunda semana.

A paralisação decorre da exigência de Trump de orçamento de 5 bilhões de dólares para a construção de um muro na fronteira dos EUA com o México.

O convite de Trump, que foi descrito por fontes parlamentares como um “briefing” e não uma sessão de negociação, foi enviado a dois principais líderes partidários no Senado e na Câmara dos Deputados.

Não ficou claro se os líderes vão participar do encontro, marcado para a quarta-feira, disse uma fonte. A Casa Branca não comentou o assunto de imediato.

O Congresso dos EUA vai voltar a funcionar rapidamente na quarta-feira, para marcar o último dia do controle do Partido Republicano das duas Casas, sem sinal de um plano para encerrar a paralisação de um quarto do governo federal, que afeta 800 mil trabalhadores.

Na quinta-feira, quando democratas vão assumir controle sobre a Casa dos Representantes, eles planejam aprovar um pacote em duas partes de gastos destinado a encerrar a paralisação. Mas as perspectivas para o pacote no Senado, controlado pelos Republicanos, são negativas.

“Segurança de fronteira e a questão do muro e a paralisação não é o que Nancy Pelosi queria no início do seu mandato como presidente! Vamos fazer um acordo?”, escreveu Trump no Twitter nesta terça-feira, se referindo à líder democrata na Câmara dos Deputados.

Trump disparou a paralisação, iniciada em 22 de dezembro, ao insistir que os 5 bilhões de dólares para o financiamento do muro sejam parte de qualquer orçamento. Trump afirma que o muro, uma promessa de sua campanha presidencial, é crucial para reduzir imigração ilegal. Durante a corrida pela Casa Branca ele dizia que o México pagaria pelo muro.

O pacote dos democratas inclui financiamento para o Departamento de Segurança Interna nos níveis atuais até 8 de fevereiro e prevê 1,3 bilhão de dólares para cercas de fronteira e 300 milhões para outras iniciativas de segurança de fronteira.

A segunda parte do pacote vai financiar agências federais que estão sem recursos agora, como Justiça, Comércio e Transporte, até 30 de setembro, o fim do ano fiscal federal.

O pacote democrata não inclui os 5 bilhões cobrados por Trump. O líder da maioria no Senado, o republicano Mitch McConnell, tem afirmado que os republicanos não vão aprovar medidas orçamentárias que não sejam apoiadas por Trump.

Fonte: Reuters

Comentários