Mundo

31 de dezembro de 2018 14:57

Ano Novo começa no mundo

Do outro lado do mundo já é 2019. Austrália gastou 3,7 milhões de euros em festa. Indonésia cancelou fogos de artifício em homenagem a vítimas do Tsunami

↑ Réveillon em Sydney custou o correspondente 3,7 milhões de euros para. Foram acesas 8,5 toneladas de fogos (Foto: Portal R7)

O Ano Novo já começou no “outro lado do mundo”. Os cidadãos de Samoa foram os primeiros a dar as boas-vindas a 2019. Quem se encontra no Estado situado na Polinésia, no sul do Oceano Pacífico, pode festejar o réveillon 16 horas antes de quem está no Brasil e com uma vantagem de 13 horas em relação à Alemanha e à maioria dos estados da UE.

Naquela região, também há a possibilidade de se festejar a entrada de ano duas vezes. Basta voar de Samoa em direção a Samoa Americana, pouco mais de 150 quilômetros a leste. Esse território pertencente aos EUA fica além da fronteira que delimita a data. Os habitantes da ilha são os últimos a comemorar o Ano Novo.

Uma hora depois dos samoanos, foi a vez de os neozelandeses receberem o Ano Novo.

Na Austrália, os organizadores do réveillon em Sydney gastaram o correspondente a cerca de 3,7 milhões de euros para uma festa “gigante”, a maior até agora, segundo a administração da cidade. Foram acesas 8,5 toneladas de fogos, meia tonelada a mais que no ano passado.

O espetáculo de queima de fogos, com 100 mil efeitos pirotécnicos, foi acompanhado da música A natural woman, canção eternizada por Aretha Franklin, cantora de soul americana morta em agosto.

Os cidadãos criticaram a decisão dos organizadores do festejo de cobrarem, pela primeira vez, entrada para a região portuária que tem a melhor vista dos fogos de artifício. Os preços dos bilhetes chegam a custar até 60 dólares.

A polícia estima que mais de um milhão de pessoas assistiram ao espetáculo no Porto de Sydney.

Em Jakarta, capital da Indonésia, mais de 500 casais disseram sim numa cerimônia de casamento em massa organizada pelo governo, cujo show de fogos de artifício foi cancelado em respeito às vítimas do tsunami que atingiu o país neste mês. No país, as celebrações de Ano Novo foram canceladas também na província de Banten, onde a catástrofe ocorrida em 22 de dezembro causou mais de 400 mortes.

Fonte: DW Brasil

Comentários

MAIS NO TH