Interior

15 de abril de 2021 17:25

MVV realiza audiência pública virtual para novo projeto de cobre em Igaci

Evento apresentou à população estudos ambientais para obtenção da Licença Prévia

↑ Audiência ocorreu em formato online (Imagem: Divulgação)

Aconteceu no último dia 08/04 a audiência pública para obtenção da licença prévia do Projeto Caboclo, localizado em Igaci. A partir de pesquisas geofísicas na região, foi encontrada uma área de cerca de 170 hectares que está em fase de estudos geológicos para identificação de viabilidade do minério de cobre.

Na oportunidade, foram apresentados ao órgão licenciador (o Instituto de Meio Ambiente de Alagoas – IMA/AL), ao governo (Prefeitura de Igaci e Câmara Municipal de Vereadores) e à sociedade em geral os estudos ambientais para a possível implantação de uma nova mina na região.

Devido à pandemia, respeitando os protocolos de Segurança contra a COVID-19, o evento foi realizado virtualmente, com ampla divulgação nas comunidades vizinhas a partir do encaminhamento do link de transmissão ao vivo via Youtube e instalação de pontos de conexão de internet na região para que todos pudessem acompanhar a audiência, além da colocação de telão na Associação Comunitária dos Moradores do Dionísio, para aqueles que não possuíam computador ou smartphone. Todas as ações realizadas pela Mineração Vale Verde para garantia da máxima participação social das partes interessadas.

SOBRE O PROJETO CABOCLO

O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) mostraram as especificidades da região, do solo, da vegetação, da fauna e das comunidades vizinhas. A explanação foi feita pelo consultor da Consultoria Engenharia, Meio Ambiente, Projetos e Publicidade Ltda. (CEMAPPU), o geólogo Anderson Delguíngaro, colocando em detalhes cada ponto.

Segundo o gerente geral de Operação da MVV, Tony Lima, isso dará, pelo menos, mais cinco anos de vida útil ao Serrote — assim, ao todo, a operação poderá acontecer por mais de 20 anos com o beneficiamento do concentrado de cobre.

“O método de lavra será ‘a céu aberto’, utilizando as usuais quatro principais atividades em uma mineração: perfuração, desmonte, carregamento e transporte. O processo industrial do Projeto Caboclo será a seco. Ou seja, o processo de flotação e filtragem [via úmida] ocorrerá na nossa planta industrial já montada em Craíbas”, diz Tony.

Tony ressaltou ainda sobre a necessidade da MVV fomentar um diálogo cada vez mais estruturado com os moradores da região, a fim de garantir a participação de todos e entender as dinâmicas sociais de cada comunidade vizinha ao novo Projeto.

Ivens Leão, o assessor executivo do IMA/AL, presidiu a mesa e enalteceu o trabalho detalhado realizado pela MVV, a fim de deixar tudo claro para o poder público e para os moradores de Igaci, primando pela transparência nas informações.

Além de Tony, Anderson e Ivens, compuseram a mesa diretora da audiência pública o coordenador de Meio Ambiente da MVV, Adriano Andrade; a secretária Municipal de Saúde de Igaci, Patrícia Manuela, que na ocasião representou o prefeito Petrúcio Barbosa; o secretário Municipal de Administração de Igaci, Josenildo França; e o presidente da Câmara Municipal de Igaci, o vereador prof. Oliveiro.

Confira a audiência na íntegra: https://youtu.be/OUhLA8vZ4dE

SOBRE A APPIAN

Desde 2018, 100% do capital da MVV pertence a um fundo de investimentos administrado pela Appian Capital Advisory LLP focado em mineração. O fundo também possui um ativo no Brasil no município de Itagibá (BA), denominado Atlantic Nickel, com foco na produção de concentrado de níquel sulfetado e capacidade nominal de 120 mil toneladas/ano, que voltou a operar em janeiro de 2020. Sediada em Londres, a Appian possui ainda escritórios em países como África do Sul e Canadá.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH