Interior

2 de março de 2021 10:59

Moradores da Barra de Camaragibe denunciam esgoto a céu aberto

Segundo os moradores, o problema é antigo, inclusive a situação já foi levada para a nova gestão, que até o momento não tomou nenhuma iniciativa

↑ Nas redes sociais alguns populares afirmam que os dejetos descem, possivelmente, da parte alta do povoado, principalmente da Rua do Presídio (Foto: Redes Sociais)

A realidade do saneamento básico nos municípios da Rota Ecológica, uma das regiões mais famosas e mais caras do Nordeste, conhecida internacionalmente pelas piscinas naturais e pelas pousadas de charme, apresenta ainda um dos piores índices para uma região turística. Os três municípios, Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras, convivem com essa realidade desde a emancipação, aumentada nos últimos anos pelo crescimento do turismo. Com menos de 30 por cento de ligações de esgotos, as prefeituras, que não dispõe de verba para aplicar no saneamento, dependem de verba federal para tentar amenizar o problema.

Depois de vídeos que circularam pelas redes sociais denunciando esgotos a céu aberto em São Miguel dos Milagres no ano passado, moradores da Barra de Camaragibe, povoado turístico do município de Passo de Camaragibe, revoltados com um “rio de fezes´´, resolveram denunciar, também através de vídeo, a existência de um córrego que percorre várias ruas do povoado e que deságua na praia, levando o esgoto de centenas de residências.

Segundo os moradores, o problema é antigo, inclusive a situação já foi levada para a nova gestão, que até o momento não tomou nenhuma iniciativa. Eles denunciam que durante os meses de temporada o problema se agrava, com o aumento do volume de fezes, já que muitos turistas alugam casas e se hospedam nas pousadas.

Nas redes sociais alguns populares afirmam que os dejetos descem, possivelmente, da parte alta do povoado, principalmente da Rua do Presídio, onde as casas não têm fossas e jogam os dejetos diretamente na rua. Segundo eles, o “rio de fezes´´, pode trazer sérios problemas à saúde, além do mau cheiro e a proliferação de mosquitos. Eles estão pedindo providências urgentes à prefeitura.

Fonte: Tribuna Hoje / Claudio Bulgarelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH