Interior

28 de setembro de 2020 18:10

No Velho Chico, plantio de mudas celebra importância da árvore

Recuperação da mata ciliar promovida pela Agreste Saneamento é um dos caminhos para a preservação de um dos mais importantes rios do país

↑ Em São Brás, foram plantados exemplares de Ingá, Ipê Amarelo e Ipê Roxo (Foto: Assessoria)

As margens do Rio São Francisco foram palco de uma ação de preservação de um dos mais importantes patrimônios hídricos do país. A Agreste Saneamento realizou o plantio de mudas para recuperação da mata ciliar. O plantio ocorreu na Estação Morro do Gaia, situada no município de São Brás, na região agreste do estado.

Foram plantados exemplares de Ingá, Ipê Amarelo e Ipê Roxo. O objetivo é tornar a ação permanente. A iniciativa surgiu a partir da campanha #VireCarranca, encabeçada pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco (CBHSF), que conta com o apoio da Agreste Saneamento e tem como objetivo conscientizar sobre a preservação e proteção do Velho Chico, além de reforçar sua importância social, econômica e ambiental.

No projeto de recuperação da mata ciliar devem ser observados diversos aspectos, inclusive o comportamento das plantas e a região em que serão plantadas. De acordo com o diretor operacional da Agreste Saneamento, Sérgio Bovo, a ação visa recuperar as margens do Velho Chico nas áreas onde a empresa atua.

A recuperação da mata ciliar é fundamental para a preservação dos recursos hídricos. As árvores servem como uma rede de proteção que impede a chegada de rejeitos e previne o assoreamento, um dos principais vilões dos cursos d’água.
“Plantamos as mudas em uma barreira que fica a 50 metros das margens para proteger o curso do rio, evitando erosões e o assoreamento. Sem a proteção da mata ciliar, o banco de areia desce e assoreia o rio, causando um impacto ambiental muito grande. Com o plantio das mudas, conseguimos fixar o banco de areia. Além disso, as raízes e a mata dificultam a chegada de resíduos ao curso do rio. A recuperação da mata ciliar traz vários benefícios e, no caso do Rio São Francisco, isso impacta diretamente na vida da população, mesmo das comunidades não ribeirinhas”, destaca.

Sobre a Agreste Saneamento

A Agreste Saneamento atua junto com a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) desde 2012, através de uma parceria público-privada com duração de 30 anos, com o objetivo universalizar o acesso da população à água de qualidade e assegurar melhorias nos sistemas de abastecimento de 10 municípios da região agreste do estado, beneficiando mais de 377 mil habitantes. Foi eleita a melhor empresa de médio porte para trabalhar em Alagoas, em 2018, de acordo com pesquisa realizada pela consultoria Great Place to Work Brasil (GPTW). Desde 2017, faz parte da Iguá Saneamento, companhia que está presente em 37 municípios brasileiros e que alcança 6 milhões de pessoas com o compromisso de ser a melhor empresa de saneamento para o Brasil.

Sobre a Iguá Saneamento

A Iguá é uma companhia de saneamento, controlada pela IG4 Capital, que atua no gerenciamento e na operação de sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário, por intermédio de concessões e de parcerias público-privadas. Atualmente, está presente em 37 municípios de cinco estados brasileiros: Alagoas, Mato Grosso, Santa Catarina, São Paulo e Paraná, por meio de 18 operações que somadas beneficiam 6 milhões de pessoas. O alcance dos serviços prestados pela companhia a coloca entre os principais operadores privados do setor de saneamento do país. Em 2019, foi eleita pelo terceiro ano consecutivo uma ótima empresa para se trabalhar pela consultoria Great Place to Work (GPTW). Atualmente, emprega cerca de 1,5 mil pessoas. O nome Iguá é uma referência direta ao universo em que atua: em tupi-guarani, “ig” que dizer água. www.iguasa.com.br.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH