Interior

8 de agosto de 2020 11:43

Filhote de peixe boi é flagrado próximo ao santuário no Rio Tatuamunha

↑ Filhote da fêmea de peixe-boi Aura emergiu para respirar ao lado da mãe e foi flagrado pelo ICMBio (Foto: ICMBio)

Próximo de completar 26 anos de existência em Alagoas, o Projeto Peixe Boi Marinho, através do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), publicou em suas redes sociais uma foto que deixou internautas, apaixonados pela natureza e técnicos do projeto em êxtase.  O registro foi breve, de apenas cinco segundos, mas o suficiente para a constatação de uma ótima notícia.  A fêmea de peixe-boi Aira pariu mais um filhote, o segundo. E o pequeno apareceu e foi flagrado emergindo para respirar ao lado da mamãe, nas águas do Rio Tatuamunha, em Porto de Pedras, próximo do Santuário do Programa Peixe Boi.

O filhote tem cerca de 15 dias de nascimento, possui entre um metro e dez centímetros a um metro e vinte centímetros de tamanho e ainda não foi possível identificar o sexo. O registro em vídeo foi do técnico Lesenilson Cavalcante, que faz parte da equipe de tratadores da base do ICMBio em Porto de Pedras. Como não se sabe ainda o sexo, o filhote ainda não tem nome. O irmão mais velho se chama Bacurio.

Nesses quase 26 anos, 46 animais já foram reintroduzidos pelo Programa Peixe Boi em Alagoas, conhecido cientificamente como Trichechus manatus manatus. Trata-se do mamífero marinho mais ameaçado de extinção do país. A estimativa populacional é de cerca de apenas 500 indivíduos distribuídos ao longo da costa brasileira.

Foi no dia 12 de outubro de 1994 que o Projeto Peixe-Boi Marinho, desenvolvido pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Aquáticos (CMA), órgão ligado ao ICMBio, lançou nas águas do mar de Paripueira os animais Astro e Lua. Começava ali uma história de luta e abnegação para salvar uma das espécies mais ameaçadas de extinção no Brasil.

Em outubro próximo o projeto completa 26 anos de existência em Alagoas. É certo dizer que o Programa de Manejo para a Conservação dos Peixes-Boi atingiu taxas de sucesso que superam muitas outras iniciativas similares existentes no mundo, elevando a variedade genética da espécie, reconectando as populações existentes e recolonizando áreas ocupadas no passado.

Fonte: Claudio Bulgarelli – Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH