Interior

29 de maio de 2020 11:10

Barreiras sanitárias são eficientes mecanismos de controle contra a Covid-19

Quem estiver viajando pelos municípios da Rota Ecológica, ao longo da Estrada Parque, vai encontrar, pelo menos, cinco barreiras sanitárias

↑ Barreira Sanitária em Porto da Rua (Foto: Claudio Bulgarelli)

O termo barreira sanitária entrou definitivamente no vocabulário cotidiano das pessoas depois da pandemia do novo coronavírus, tendo como principal objetivo prevenir riscos de contaminação e disseminação de pragas e doenças ou evitar que elas ocorram entre a população. Na entrada e saída dos três municípios da Rota Ecológica, as barreiras sanitárias, que foram instaladas praticamente ainda no final de março, quando a Covid-19 ainda não estava disseminada, acabaram se transformando em excelentes e eficientes mecanismos de controle do vírus, com aferição de temperatura de todas as pessoas que entram nos municípios, a pé, de moto ou de carro, que na verdade são, em muitos casos, medidores de temperatura por infravermelho, aliado a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção.

Quem estiver viajando pelos municípios da Rota Ecológica, ao longo da Estrada Parque, vai encontrar, pelo menos, cinco barreiras sanitárias. A primeira  na entrada da cidade de Passo de Camaragibe, uma na entrada do Povoado do Riacho e saída de Porto da Rua, ambas em São Miguel dos Milagres e mais duas em Porto de Pedras, na entrada do povoado Lage e nas proximidades da balsa, que controla tanto o fluxo de veículos e pessoas que fazem a travessia do Rio Manguaba, bem como pessoas que chegam através da Estrada Salinas-Porto Calvo. Em todas as barreiras, a presença sempre de dois agentes de saúde, totalmente protegidos com EPIs e equipados com medidores de temperatura e sempre com agentes da Guarda Municipal e muitas vezes com policiais militares da Força Tarefa.

Em São Miguel dos Milagres, que foi o primeiro município a adotar a barreira ainda lá no dia 22 de março, proibindo a entrada de ônibus e vans com turistas, as duas barreiras funcionam praticamente 24 horas por dia e acabou se transforando num excelente aliado para o controle de entrada e saída de pessoas e veículos.  Para o prefeito Rubens Ataíde, que faz visitas periódicas as barreiras, ´´elas estão nos dando uma ideia clara de quantas pessoas possam estar confirmadas ou com suspeitas. Hoje nosso município apresenta um número estável de confirmados, somente 23, enquanto já recuperamos 21 pessoas. Temos a certeza de que as barreiras sanitárias estejam funcionando e nos ajudando a ter números baixos.

Por outro lado o município instalou, além de dois enormes equipamentos, que funcionam como pias para as pessoas que saem de casa poder lavar as mãos com sabão e álcool gel, outros equipamentos menores colocados em vários pontos da cidade, especialmente em Porto da Rua e centro.

Fonte: Tribuna Hoje l Texto: Claudio Bulgarelli – Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH