Interior

22 de maio de 2020 08:21

Academias, barbearias e salões de beleza já podem funcionar em Maragogi

Decisão de liberar estabelecimentos foi do prefeito Sérgio Lira, através de novas diretrizes publicadas no Diário Oficial dos Municípios

↑ Maragogi (Foto: Divulgação)

Apesar do aumento de casos confirmados, a cidade de Maragogi dá os primeiros sinais de volta à normalidade, pelo menos para outras três atividades. É que o prefeito Sérgio Lira, através de novas diretrizes publicadas no Diário Oficial dos Municípios, decidiu liberar a reabertura de academias de ginásticas, salões de beleza e barbearias. Pelo decreto os salões de belezas e as barbearias poderão funcionar com um cliente por vez no recinto, tomando todos os cuidados de higiene. Academias e centro de ginástica vão funcionar em número não superior a dez clientes por turno e, obrigatoriamente, com higienização reforçada dos aparelhos para musculação e ginástica. Vale lembrar que o presidente Jair Bolsonaro classificou essas atividades como serviços essenciais em decreto presidencial publicado no dia 11 de maio.

O novo decreto municipal também dispõe sobre as medidas para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e são válidas até o dia 15 de junho. O uso de máscara permanece obrigatório em todo o município, as aulas presenciais estão suspensas, em contrapartida estão liberados estabelecimentos médicos e odontológicos para serviços de emergência, laboratórios de análises clínicas, farmacêuticos, psicológicos, clínicas de fisioterapia e de vacinação, distribuidoras e revendedoras de água e gás, distribuidores de energia elétrica, serviços de telecomunicações, segurança privada, postos de combustíveis, funerárias, correspondentes bancários, bancos, lotéricas, clínicas veterinárias, lojas de produtos para animais, lavanderias, oficinas mecânicas e borracharias.

Além disso, também estão liberados os estabelecimentos de construção civil, respeitando o número máximo de dez pessoas. Também permanecem liberados os serviços comerciais considerados essenciais como: padarias, lojas de conveniência, mercados e supermercados, sendo expressamente proibido o consumo local, tanto de bebidas como de comidas. Os empreendimentos autorizados podem funcionar de segunda a sexta-feira das 6h até 18h e aos sábados até 16h. Com horário estendido e aos domingos apenas farmácias estão autorizadas.

O decreto informa ainda que permanece proibidos o funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes, templos, igrejas e demais instituições religiosas, lojas ou estabelecimentos que pratiquem o comércio ou prestem serviço de natureza privada (exceto os autorizados no decreto), galerias e centros comerciais. Também permanecem fechados praças, parques, beira da praia e áreas públicas. Eventos culturais, artísticos e exposições,  qualquer atividade de comércio nas praias, cachoeiras, rios e outros locais de uso coletivo e que permitam a aglomeração de pessoas também permanecem proibidos.

Durante a permanência do decreto os restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres poderão funcionar apenas por serviços de entrega, além dos serviços de ”pegue e leve”, inclusive por aplicativo. Lojas e outros estabelecimentos comerciais também poderão funcionar por meio de delivery, além dos serviços de “pegue e leve”. Por fim fica obrigado que  hotéis, pousadas e congêneres deverão ficar fechados para atendimento ao público e serviços de hospedagens até 15 de junho de 2020 ou nova normativa legal.

Fonte: Tribuna Hoje / Claudio Bulgarelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH