Interior

15 de março de 2020 13:19

Campanha do Batalhão de Polícia Rodoviária termina hoje no Litoral Norte

Campanha alerta sobre os perigos de transportar turistas na parte superior dos veículos, que já se tornou uma prática comum nas cidades turísticas da Costa dos Corais

↑ Foto: Divulgação

Termina na tarde de hoje a operação realizada desde a manhã da quinta-feira, 12, pelo Batalhão de Polícia Rodoviária, que está promovendo uma campanha educativa ao longo da rodovia AL 101 Norte, especialmente no município de Maragogi, para conscientizar associações de bugueiros e bugueiros independentes, sobre os perigos de transportar turistas na parte superior dos veículos, que já se tornou uma prática comum nas cidades turísticas da Costa dos Corais.

Nos últimos anos, com o boom do turismo nas cidades da Rota Ecológica; Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras; além de Japaratinga e Maragogi, com o surgimento de várias associações de bugueiros, que reúnem mais de 500 membros, além daqueles que realizam esse transporte independente, é comum ver quatro pessoas, quase sempre dois casais, ocuparam um buggy, mais o motorista, quando na verdade a capacidade é somente para quatro pessoas.

Mas segundo o Código Brasileiro de Trânsito é uma prática ilegal. Por isso o Batalhão de Polícia Rodoviária resolveu iniciar a campanha de conscientização, de 12 a 15 de março. Depois desse período, quem for flagrado descumprindo a medida protetiva será multado, além de sofrer outras sanções que podem ser aplicadas previstas no Código Brasileiro de Trânsito. A ação visa proporcionar segurança nas rodovias do litoral.

Em Maragogi, A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) informou sobre a medida a população e o órgão reiterou o apoio ao Batalhão de Polícia Rodoviária para assegurar um passeio seguro para os turistas. Por outro lado a SMTT também ressaltou a importância da atividade dos bugueiros para o turismo na cidade litorânea.

Líderes de associações de bugueiros estão preocupados com a medida, afirmando que vai inviabilizar parte dos negócios, já que a maioria dos passeios são feitos por 4 turistas, quase sempre dois casais. Nas redes sociais uma série de criticas foi feita em relação a uma possível alteração daquilo que comumente já vinha sendo aceito até o momento.

Fonte: Tribuna Hoje / Claudio Bulgarelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH