Interior

8 de março de 2020 17:17

Pousada do Toque completa 20 anos

Uma história de pioneirismo e sucesso em são Miguel dos Milagres

↑ Pousada do Toque (Foto: Claudio Bulgarelli)

O mês de março marca os 20 anos da Pousada do Toque. Instalada num dos trechos mais belo da Rota Ecológica, bem em frente às piscinas naturais do Toque, as mais visitadas da região, eleita duas vezes por voto popular como a melhor pousada do Brasil e com inúmeros prêmios e reconhecimento internacional, a Pousada do Toque está completando 20 anos de fundação. A pioneira de todas as pousadas de São Miguel dos Milagres foi a responsável por inserir o município e a região no roteiro turístico nacional, tornando-se um dos destinos mais procurados no Brasil.

No final dos anos 90 o empresário capixaba Nilo Bulgarelli, resolveu investir seu futuro em um lugar paradisíaco, mas totalmente desconhecido, para iniciar um negócio de hospedaria. São Miguel dos Milagres quase ninguém tinha ouvido falar. Porto da Rua, um nome pouquíssimo conhecido. Praia do Toque, essa sim, completamente obscura de qualquer rota turística. O início, como todo início, mostrou-se cheio de dificuldades e obstáculos. O sitio estava em abandono total. As obras evoluíam num ritmo lento, mas continuo.

Mas a ideia da pousada ganhava vida. Os poucos chalés iam nascendo. O nome, Pousada do Toque, uma justa homenagem à praia do Toque. Em março do ano 2000, em pleno carnaval, abre suas portas, assim, sem divulgação ou badalação, com apenas 3 quartos e 3 chalés. Os hospedes foram aparecendo aos poucos. Mas depois de enfrentar o isolamento quase que total nos primeiros meses após a inauguração, devido as fortes chuvas invernais daquele ano, a Pousada foi descoberta pelo publicitário Ricardo Freire, colunista da revista VIP, que fazia uma reportagem no litoral norte de Alagoas. Ele ouviu falar na pousada e resolveu se hospedar por lá, sem se identificar.

´´Posso me gabar! Eu fui o primeiro a falar bem da Pousada do Toque. (Não que alguma alma pudesse não falar bem dela, mas alguém tinha que começar, e fico feliz que tenha sido eu.) A história é divertida. Em março de 2000, depois de ler uma notinha sobre a pousada num jornal que comprei ao acaso, fui até São Miguel dos Milagres para visitar. Gostei de cara. A pousadinha — na época, eram três quartinhos na sede, mais três chalezinhos nos fundos — mal tinha aberto, chovia a cântaros, e eu pedi um quarto. Era o único hóspede. Na hora do jantar, o dono da pousada me sugeriu um peixe fresco que tinha conseguido, e perguntou se eu queria uma saladinha de entrada. Eu disse que sim. Quando veio a salada, não acreditei: tinha rúcula. Rúcula? Em Alagoas? Como assim? Era da horta orgânica da pousada´´.

´´Saí de lá, e, sem que ele soubesse que eu escrevia na imprensa, mandei uma matéria para a VIP: “Paraíso descoberto”. Quando os futuros hóspedes começaram a ligar — de São Paulo, de Brasília, de Belo Horizonte –, o desavisado dono, achou que era trote. Meu olho clínico estava certo. Desde então, a Pousada do Toque só fez ficar mais e mais e mais bacana. O proprietário e sua esposa reinvestiram na pousada tudo o que ganharam. Foram desativando os apartamentos e construindo chalés com deck, varanda e piscina particular. Quartos amplos, colchões importados, TVs grandes, Sky em todos os quartos e wifi. Os banheiros são enormes, têm entrada independente e vêm sempre com dois chuveiros e duas pias´´.

Os anos se passaram e completando o upgrade radical da pousada, foram construídos super chalés com piscina particular, home theater, hifi, sky e outras regalias bem ao estilo do Toque, na cola do Nannai, mas com cara de Brasil, não de Bora Bora. O mais recente, Bem-te-vi é um modelo de super chalé, com mais de 100 metros quadrados de espaço, com 4 ambientes, piscina particular e uma série de itens que o tornam o mais cobiçado dos chalés da pousada.

Segundo Ricardo Freire ´´Mas o que é realmente sensacional é que, não importa quantos luxos ofereça a Pousada do Toque jamais será um lugar metido. A fórmula é original e dificílima de copiar: o Toque junta conforto total e afetação zero. O proprietário é um “pousadeur” — um mistura de pousadeiro e restaurateur, disposto a conquistar o hóspede pelo estômago. Incluído na diária, a pousada oferece uma refeição (almoço ou jantar). O cardápio tem lagostim, camarão, massa, arroz de polvo, moqueca capixaba, filé, arroz e feijão e ovos. É só dizer, e será feita sua vontade.

Fonte: Tribuna Hoje / Texto: Claudio Bulgerelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH