Interior

19 de fevereiro de 2020 15:46

Após mediação do Iteral, assentados do Unidos pela Terra entram em acordo

Diretor-presidente do Iteral se reuniu com grupo contrário à atual diretoria da associação

↑ Reunião ocorreu no Iteral na sexta-feira (Foto: Helciane Angélica Santos Pereira / Ascom Iteral)

O Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) recebeu na terça-feira (18) a visita de uma comissão de agricultores familiares do Assentamento Unidos Pela Terra, situado no município de Igaci, que possui ao todo 28 famílias beneficiadas pelo Programa Nacional do Crédito Fundiário (PNCF).

O encontro com o diretor-presidente do Iteral, Jaime Silva, serviu para contornar as divergências entre os associados, que tem prejudicado a convivência nas unidades produtivas. No último dia 30 de janeiro, a equipe técnica do Iteral realizou uma visita de fiscalização no assentamento e verificou as condições da área de convívio. A sede da associação estava lacrada, pois os antigos responsáveis se recusavam a entregar as chaves do salão; o dessalinizador da água estava sobre os cuidados de apenas uma família; além disso, o curral apresentava problemas na infraestrutura e a casa de apoio estava abandonada.

“Queremos contornar essas pequenas coisas e que a paz reine no assentamento. A nossa visita foi para fazer com que o curral, a água e o armazém sejam realmente para uso de todos. Também recebemos denúncias sobre a invasão da área de reserva destinada à proteção ambiental e fomos conferir de perto”, ressaltou Jaime Silva.

O agricultor Expedito Alves, 65, é responsável pela limpeza e manutenção dos maquinários do dessalinizador da água na região. Ele informou que, desde 2018, juntamente com o filho foi o único que se interessou em fazer o curso para cuidar do local. “Eu moro no assentamento e tenho 20 tarefas onde planto milho, feijão, mandioca, pinha, manga, caju e ainda tenho duas vaquinhas. Eu divido o meu tempo entre a roça e o dessalinizador, e todos os dias as famílias vêm buscar 40 litros de água que servem para beber e cozinhar”, explicou.

Estiveram acompanhando os assentados na reunião o ex-deputado estadual Edval Gaia e o secretário municipal de Agricultura de Igaci, Rogério Pereira. Edval Gaia sugeriu que fosse criada uma comissão para administrar a central de tratamento de água no assentamento.

“A gente percorre todo o município e escuta os desabafos e problemas dos agricultores, e eu fiquei preocupado, por isso vim aqui com o grupo para tentar ajudar e apaziguar. São pessoas pacíficas e estão fazendo um bom trabalho, antes só existia gado na área, e eles estão deixando a área mais produtiva. O Iteral é hoje um órgão que apresenta total competência e acreditamos que a questão será resolvida, para que todos possam trabalhar e serem parceiros”, enalteceu Rogério Pereira.

Fonte: Ascom Iteral / Texto: Helciane Angélica Santos Pereira

Comentários

MAIS NO TH