Interior

22 de janeiro de 2020 11:04

Paciente de São Paulo agradece equipe do HEA que salvou a sua vida

Ginaldo Ferreira de Lima sofreu queimaduras nas vias aéreas e ficou 45 dias na UTI

↑ Ginaldo Ferreira de Lima (camisa amarela) esteve o HEA para agradecer equipe (foto: Davi Salsa/Ascom HEA)

Após ficar internado, em estado gravíssimo, durante 45 dias, com queimaduras nas vias aéreas, Ginaldo Ferreira de Lima, de 50 anos, que reside em São Paulo, esteve no Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca, para reencontrar a equipe de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e psicólogos que o acompanharam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O encontro foi marcado pelo clima de muita emoção entre os membros da equipe multidisciplinar do hospital, amigos e familiares do paciente.

No final de julho do ano passado, Ginaldo Ferreira de Lima estava em visita à casa dos pais de sua esposa, em Arapiraca, para o sepultamento da sogra.
Um curto-circuito, provocado, provavelmente, por uma descarga elétrica e um telefone celular deixou a residência em chamas.

Ginaldo Ferreira tentou salvar o pai de sua esposa e acabou respirando ar quente que queimou internamente as suas vias áreas.

O idoso não resistiu aos ferimentos e faleceu.

“O quadro de saúde do Ginaldo era muito grave. A ventilação mecânica não estava surtindo efeito e tivemos de recorrer a técnicas mais avançadas, a exemplo da posição Prona, para ajudar no tratamento e recuperação do paciente”, lembra o médico-intensivista, Felipe Santos.

Além disso, prossegue o especialista do HE do Agreste, a equipe decidiu utilizar um bloqueador neuromuscular durante a fase mais crítica do tratamento. “Conseguimos êxito e o paciente passou a apresentar melhora gradativa, até receber alta médica depois de 45 dias de internação. Cada integrante da equipe acreditou no trabalho do outro, e isso facilitou bastante. O que a gente não pode fazer, naquele momento, com toda certeza, Deus também fez”, acrescentou o médico Felipe Santos.

Fonte: Ascom HEA

Comentários

MAIS NO TH