Interior

30 de outubro de 2019 17:30

Dois suspeitos de homicídio em Olho d’Água das Flores são detidos

Jurandir Alves Cordeiro Neto, 20 anos, e Ednaldo do Nascimento Santos, 34 anos, são suspeitos do assassinato de Clévison Maia Santos

↑ (Foto: Ilustração)

O delegado Emmanuel David, titular do 35º Distrito Policial, autuou em flagrante na terça-feira (29) dois homens suspeitos de crime de homicídio, ocorrido em Olho d’Água das Flores, município do Sertão alagoano.

Jurandir Alves Cordeiro Neto, 20 anos, conhecido como “Jura”, e Ednaldo do Nascimento Santos, 34 anos, o “Manchinha”, são suspeitos do assassinato de Clévison Maia Santos, conhecido como “Kequinha”, morto a pauladas.

O crime aconteceu, por volta de 1 hora da madrugada, da terça-feira, em frente ao Bar do Vanzinho, localizado na Rua São Francisco, no Centro daquela cidade.

Uma testemunha ocular do assassinato contou que os suspeitos e a vítima bebiam no bar desde o final da tarde do dia anterior (28) e quando o estabelecimento fechou por volta da meia-noite, ele e os suspeitos ficaram na porta.

Enquanto bebia no bar, Jurandir teria se dirigido a “Kequinha” cobrando uma dívida pela compra de drogas a “Manchinha”. “Você tem dinheiro para beber, mas não tem para pagar o dinheiro”, teria dito o suspeito.

A testemunha narra ainda que “Kequinha” dormia na calçada quando foi acordado a chutes. Em seguida, os dois suspeitos espancaram a vítima a pauladas.

Jurandir chegou a fugir para a cidade de Palestina, com um filho menor, mas acabou localizado e preso, horas depois. “Manchinha” foi preso em casa, em Olho d’Água das Flores.

“Jura”, que já foi preso em São Paulo, confessou a participação no crime, afirmando que “Manchinha” havia prometido R$ 300 para que dessem uma surra em “Kequinha”. Mas alega que foi “Manchinha” quem deu a paulada que resultou na morte da vítima.

“Manchinha” nega tudo, dizendo que não participou do assassinato, apesar do crime ter sido presenciado por uma testemunha.

Os dois suspeitos permanecem presos, à disposição da Justiça.

Fonte: Ascom PC/AL

Comentários

MAIS NO TH