Interior

19 de outubro de 2019 10:14

Delmiro Gouveia nos Caminhos do São Francisco

Longe das manchas de óleo cru que atingiram algumas praias alagoanas, região do Baixo São Francisco é convite ao passeio

↑ Mirante do Talhado e as belas formações rochosas que chamam a atenção dos visitantes do Velho Chico (Foto: Prefeitura de Delmiro Gouveia)

Longe das manchas de óleo cru que atingiram boa parte das praias alagoanas, a região do Baixo São Francisco, em Delmiro Gouveia, distante pouco mais de 250 km da foz do Velho Chico, é o ponto de partida para quem pretende conhecer e desbravar a rota turística Caminhos do São Francisco. Nem pense nos quase 300 quilômetros entre Maceió e a cidade. Se você for adepto das viagens “com aventura”, quer explorar o visual da parte alta dos paredões do Xingo e emergir na cultura sertaneja, pegue seu carro e siga direto para Delmiro. A cerca de 50 km de Piranhas, a cidade oferece ângulos impressionantes dos cânions. Mais rústico e menos “badalado” do que o vizinho, o município encanta o público interessado em natureza preservada e cultura regional. São tantas as atrações, que o turista certamente terá dias inteiros dedicados a desbravar e conhecer cada uma delas.

Usina Angiquinho: Construída no início do século e encravada no meio de um paredão de granito, ao lado da Cachoeira de Paulo Afonso, sua construção representou um dos marcos do pioneirismo de Delmiro Gouveia. As duas unidades de Angiquinho, quando em funcionamento, geravam 1.500 Hp, suficientes para iniciar todo o processo que mudou o rumo histórico da região. De Angiquinho tem-se a visão da cidade de Paulo Afonso, da Ilha do Urubu e da Cachoeira de Paulo Afonso.

Reserva Florestal: São 60 hectares de reserva florestal cobertos por vegetação do tipo caatinga, onde se pode admirar a diversidade de espécies de elevado valor econômico e ambiental, além de árvores frutíferas e plantas medicinais. No percurso até à reserva existe uma vila rural, construída por Delmiro Gouveia e a Fazenda Modelo.

Furna do Morcego está inserida no cânion, próxima à Cachoeira de Paulo Afonso, onde é imponente (Foto: Prefeitura de Delmiro Gouveia)

Furna do Morcego: A furna está inserida no cânion, próxima à Cachoeira de Paulo Afonso. Embora esteja localizada no município de Delmiro Gouveia a furna é vista com toda sua imponência somente do lado baiano. Sua área interna é de aproximadamente 20 metros de largura por 40 metros de altura e 100 metros de extensão. Próximo ao local encontram-se as ruínas da segunda usina que seria construída pelo desbravador Delmiro Gouveia.

Trilha do Riacho do Talhado: A trilha tem seu início na Ponte do Riacho do Talhado, no leito do riacho, na estrada AL-220. Durante todo o percurso observa-se a vegetação de caatinga aberta sem palmeiras. O percurso até a ponte férrea dura em torno de uma hora. A ponte, construída em 1879, por ordem de Dom Pedro lI, possui uma estrutura de ferro e paredes de pedras que ainda resistem à ação do tempo. Do leito nota-se a ação erosiva e acúmulo dos sedimentos causados pelas chuvas e pelo encontro das águas do Riacho Bom Jesus. O cenário da trilha oferece a possibilidade de bela contemplação, com a água correndo suavemente, a vegetação de caatinga, os cantos dos diversos pássaros da região semiárida. Recomenda-se iniciar a trilha às 7 da manhã, nos meses de outubro e novembro, quando o volume de água do riacho é menor.

Praia Marina do Talhado é inserida na bela paisagem da Caatinga

A Praia Marina do Talhado tem extensão de aproximadamente 150 metros, muito propícia para banho. A profundidade é variável chegando a atingir, no meio do leito do rio, cerca de 140 metros. A ancoragem é feita de forma natural. Perto ao local é interessante conhecer as pontes da Rede Ferroviária e a Trilha do Riacho do Talhado. Não possui infraestrutura para o turismo.

Museu Regional de Delmiro Gouveia: O museu foi criado em 20 de fevereiro de 1989 e reúne objetos, fotografias e documentos que contam a história de Delmiro Gouveia, da Fábrica de Linhas da Pedra, da Estrada de Ferro Piranhas-Jatobá e da cidade de Tacaratu. No acervo, encontram-se peças da antiga estação ferroviária, a exemplo de uma locomotiva a vapor, acionada a motor elétrico; da antiga Fábrica de Linha e objetos pessoais de Delmiro.

Núcleo Apiário da Fazenda São Vicente e da Fábrica da Pedra: O primeiro encontra-se na Fazenda São Vicente. O visitante pode conhecer todo o processo de funcionamento da apicultura, além de experimentar e adquirir o mel produzido no local. O segundo, localizado na área da Fábrica da Pedra, encontra-se em bom estado de funcionamento. A técnica empregada neste núcleo é a coleta de pólen. O visitante pode observar toda a técnica da coleta de pólen e adquirir os diversos tipos de pólen: pólen com mel, pólen com alho, pólen com mel e hortelã.

Praia do Caixão: Uma praia plana com aproximadamente 60 metros de extensão, localizada às margens do Rio Moxotó. No entorno a vegetação é de caatinga. Existem alguns bares e restaurantes. E está próxima à ponte que serve de divisa entre os Estados de Alagoas e Bahia. A areia é de cor clara e a praia é propícia para banho, sendo de pouca profundidade. Sofre a influência do Rio Moxotó, da Barragem de Moxotó e da Usina Apolônio Sales. Perto da área existem locais de interesse como a praia do Porto da Barra e a Praia do Zé da Bica. A 15 minutos, de carro, está a cidade de Paulo Afonso.

Praia Porto da Barra: Tem somente 20 metros com vegetação e arbustos e muito boa para banhos. No local existe um barzinho simples conhecido como Beira Rio, além de palhoças para abrigo do sol.

Fonte: Tribuna Independente / Claudio Bulgarelli – Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH