Interior

12 de setembro de 2019 17:01

São Miguel dos Milagres intensifica combate ao caramujo africano

Ações conjuntas visam conter a infestação do caramujo africano, que vem avançando nas praias de vários municípios do Litoral Norte

↑ Combate intensificado (Foto: Ascom Prefeitura)

As equipes dos agentes comunitários de saúde de São Miguel dos Milagres, juntamente com equipes de endemias e vigilância sanitária da Secretaria Municipal de Saúde, capacitados por técnicos da Secretaria de Saúde de Alagoas, intensificaram nos últimos dias ações conjuntas para conter a infestação do caramujo africano, que vem avançando nas praias de vários municípios do litoral Norte. As ações preveem uso do cal branco nos locais de passagem do caracol, a coleta dos espécimes para extermínio em solução de água e sulfato de cobre ou água sanitária, manutenção dos terrenos desocupados nas localidades onde o caracol foi encontrado e a aragem do solo nos terrenos onde os caracóis foram avistados, buscando expor os ovos ao sol.

No início de agosto o caramujo africano foi avistado pela primeira vez às margens do rio Camaragibe, no trecho urbano da cidade de Passo de Camaragibe. Dias depois ele já foi visto na Barra de Camaragibe e até nas proximidades da praia do Riacho, em São Miguel dos Milagres. Mas foi na praia do Marceneiro, principal cartão postal do município de Passo de Camaragibe, que os moradores denunciaram uma verdadeira invasão do hóspede indesejável.

No fim de agosto ele finalmente chegou a São Miguel dos Milagres, quando dezenas de caramujos africanos tomaram conta da localidade conhecida como “Barreiro do Draga”, e no antigo lixão, localizados no povoado Porto da Rua. O número da espécie do caracol é cada vez maior e se multiplica a cada dia. Testemunhas dizem que já viram o caramujo até na proximidade da foz do Rio Tatuamunha, na direção de Porto de Pedras.

Para que as ações sejam mais efetivas, a prefeitura de São Miguel dos Milagres também esperar contar com a colaboração da população, ressaltando que são os esforços conjuntos que vão poder eliminar a infestação do caramujo africano.

O caramujo-gigante-africano, Achatina fulica, conhecido como caracol africano, é um molusco oriundo da África, chegando a pesar até 200 gramas e medir cerca de 10 centímetros de comprimento e 20 de altura. De acordo com estudiosos, em um único ano, o mesmo indivíduo é capaz de dar origem a aproximadamente 300 crias. Além de destruírem plantas nativas e cultivadas, alimentando-se vorazmente de qualquer tipo de vegetação, e competir com espécies nativas, inclusive alimentando-se de outros caramujos, esses animais são hospedeiros de duas espécies de vermes capazes de provocar doenças sérias.

Fonte: Tribuna Hoje / Texto: Claudio Bulgarelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH