Interior

29 de julho de 2019 09:17

Corpos das idosas que morreram em acidente com embarcação são liberados

Marinha do Brasil abriu inquérito que está em andamento para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades

↑ Lucimar (de rosa) e Maria de Fátima morreram no mar de Maragogi (Foto: Arquivo Pessoal)

Os corpos das duas idosas que morreram em um acidente na manhã do último sábado (27) na praia de Maragogi, Litoral Norte de Alagoas, foram liberados pelo Instituto Médico Legal (IML) em Maceió e seguem para o Ceará, de onde as turistas eram. Os velórios de Maria de Fátima Façanha da Silva, de 66 anos, e Lucimar Gomes da Silva, de 68 anos, acontecem hoje no período da tarde, naquele estado.

As senhora estavam a bordo de uma embarcação que virou em Maragogi com quase 60 pessoas. Informações do filho de uma das vítimas, dono da empresa de turismo que contratou o serviço em Maragogi, dão conta de que nenhum passageiro utilizava colete salva-vidas no momento do delito.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente do Município, Gabriel Vasconcelos, o catamarã navegava em área proibida e era inapropriado para fazer passeios até as piscinas naturais. “Há cerca de 40 dias a embarcação foi multada pela Prefeitura em R$ 5 mil, mas os proprietários insistem em realizar passeios, mesmo com uma recomendação contrária do Ministério Público Estadual (MPE)”, frisou.

A Marinha do Brasil por meio da Capitania dos Portos de Alagoas emitiu nota de condolências, lamentando o falecimento das idosas. Segundo a instituição, um inquérito foi aberto e está em andamento para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do acidente. “Durante a apuração serão colhidos depoimentos de testemunhas, análise de documentos e perícia, além de outros procedimentos que sejam necessários”.

O delegado Aylton Soares Prazeres disse que segue apurando as circunstâncias do acidente com o catamarã, e que só após o relatório da Marinha vai ser possível dizer se vai requerer a prisão dos responsáveis pela embarcação. Acrescentou que ninguém foi preso em flagrante, que ouviu testemunhas e que o ex-prefeito Marcos Madeira foi espontaneamente à delegacia para prestar esclarecimentos sobre o barco envolvido no acidente.

 

 

 

 

Fonte: Tribuna Hoje, com agências

Comentários

MAIS NO TH