Interior

8 de junho de 2019 11:12

Estudantes de Arapiraca mostram técnicas de salvamento em praça

Demonstração faz parte de projeto de extensão para 16 alunos da Escola Municipal Monsenhor José Soares

↑ Alunos demonstram técnicas aprendidas no curso e comunicação correta no contato com serviços de emergência (Foto: Davi Salsa)

Uma suposta colisão entre duas motos e a simulação de atendimento médico às vítimas do acidente chamaram a atenção, no fim da tarde de sexta-feira (7), das pessoas que passavam pela Praça Luiz Pereira Lima, no centro de Arapiraca.

Dezesseis alunos da Escola Municipal Monsenhor José Soares fizeram uma demonstração de várias técnicas de salvamento e primeiros-socorros, como parte do projeto de extensão Preparando Jovens Socorristas na Escola Pública de Arapiraca.

As atividades começaram no ano passado e a primeira turma de estudantes concluiu todos os módulos nessa sexta-feira. O projeto-piloto é coordenado pela professora-doutora do curso de Enfermagem do campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Karol Fireman de Farias, e pela professora-mestre Patrícia de Paula Alves Costa da Silva.

A iniciativa também conta com a participação direta da gerência regional do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Arapiraca, que cedeu equipamentos, pessoal técnico e uma viatura exclusiva para o curso, bem como o apoio da empresa Tropa do Trauma e a participação de professores, colaboradores e alunos dos cursos de Enfermagem e Medicina do campus da Ufal em Arapiraca.

Segundo revela a estudante de Enfermagem Tâmara Oliveira, o projeto Jovens Socorristas é formado por estudantes do 7º ano 9º ano do Ensino Fundamental II, com idade entre 12 e 16 anos.

Eles foram selecionados de acordo com o critério das maiores notas em sala de aula. Durante a simulação em praça pública, os alunos mostraram as técnicas de salvamento que aprenderam no decorrer do curso, bem como a comunicação correta das pessoas no contato com os serviços de emergência.

A jovem socorrista Alexia Bianca, de 13 anos de idade, que cursa o 8º ano do Ensino Fundamental II na Escola Monsenhor José Soares, disse que o projeto foi muito importante para ampliar os seus conhecimentos. “Aprendemos técnicas de massagem cardíaca, respiração boca a boca, assistência a vítimas de acidentes, quedas, desmaios e até queimaduras, em caso de necessidade para aplicarmos dentro da escola e em nossas comunidades”, declarou.

O coordenador do Samu de Arapiraca, enfermeiro Diego Albuquerque, parabenizou a Universidade Federal de Alagoas pela iniciativa do projeto e destacou a parceria com o projeto.

“É muito importante essa interação para que as pessoas sigam as orientações dos profissionais de saúde e conheçam melhor as técnicas de primeiros-socorros”, salientou o coordenador do Samu.

Diego Albuquerque citou como exemplo um caso ocorrido, esta semana, no Ceará, onde um garotinho de sete anos, que participou de projeto semelhante e salvou a vida de um primo ao retirar da garganta do outro menino uma espinha de peixe.

“Esse aprendizado deve ser intensificado nas escolas, desde cedo com as crianças, para que mais pessoas possam multiplicar os conhecimentos e ajudar médicos e enfermeiros continuar salvando vidas”, completou.

Fonte: Davi Salsa – Sucursal Arapiraca

Comentários

MAIS NO TH