Interior

18 de abril de 2019 13:38

Tradicional espetáculo “Paixão de Cristo” não será apresentado por falta de patrocínio

Encenação era exibida no maior teatro ao ar livre do mundo, localizado na cidade cenográfica com capacidade para 20 mil pessoas

↑ Na sétima edição, o elenco foi formado por artistas alagoanos. Eram aproximadamente 200 atores e figurantes em cena e mais de 80 pessoas envolvidas na equipe técnica e produção (Foto: Divulgação)

A Cidade de Maria, em Craíbas, agreste alagoano este ano não vai ter a oitava edição do tradicional espetáculo ‘’Paixão de Cristo’’ por falta de patrocínio. A peça teatral era a principal atração do período da Quaresma e conhecido em toda região.

A encenação era exibida no maior teatro ao ar livre do mundo, localizado na cidade cenográfica com capacidade para 20 mil pessoas, no povoado Folha Miúda, a 15 quilômetros de Arapiraca, em uma única apresentação. No entanto, o ex-deputado Givaldo Carimbão, responsável pela a Cidade de Maria disse que sem patrocínio, apenas com recursos próprios não teria como organizar o evento.

“Infelizmente este ano não vai ocorrer. Já era pra ter acontecido durante está semana, mas não conseguimos patrocínio e com recursos próprios fica inviável. Antes, eu tinha mais apoio. Mas infelizmente como perdi as eleições não dará para fazer”, explica Carimbão.

O espetáculo era gratuito e voltado para o lado social. Os visitantes que quisessem poderiam levar 2 kg de alimentos não perecíveis, que eram doados a comunidades acolhedoras de dependentes químicos.

CIDADE CENOGRÁFICA

O espaço é formado por 12 palcos elevados, pontuadas com cenários naturais, casebres, templos, todos ornamentados com pedras, que dão um realismo ao ambiente. Os figurinos são réplicas caprichadas, em toda a cenografia é possível perceber casas e edificações que simbolizam os lugarejos da época, além de uma iluminação com tecnologia de ponta que são capazes de levar o espectador para a cena.

Na sétima edição, o elenco foi formado por artistas alagoanos. Eram aproximadamente 200 atores e figurantes em cena e mais de 80 pessoas envolvidas na equipe técnica e produção. O espetáculo tinha duração em média de 2h. Segundo o fundador da Cidade de Maria, Carimbão, quem atraía o público não são artistas renomados. “O evento não tem objetivo financeiro e não existe ninguém maior que Jesus Cristo para atrair multidões”,

A Cidade de Maria possui 300 mil m², com acesso facilitado para portadores de necessidades especiais. Tem um estacionamento com capacidade para receber cerca de dois mil ônibus, cinco mil carros e 10 mil motos, segundo conta os administradores da cidade.

HISTÓRICO

Foi construída em 2006 pelo deputado federal Givaldo Carimbão, com o objetivo de ser um espaço utilizado para a recuperação de dependentes químicos. Mas, com o tempo passou a ser local de peregrinação e do turismo-religioso com a vinda de caravanas que começaram a frequentar as apresentações que iniciaram em 2013 deixando o local conhecido como uma área de oração, penitência e fé.

Várias locais irão realizar encenação

O público que gosta de teatro e relembrar a história da morte e ressurreição de Jesus Cristo tem algumas opções.

Em Santa Luzia do Norte, a programação da 29° temporada começa hoje a partir das 20h. A entrada franca, mas pode levar um 1 kg de alimento não perecível. O espetáculo conta com a presença de 200 participantes e segue em cartaz até o sábado (20).

Em Maceió, o bairro do Benedito Bentes (Praça Padre Cícero) também será palco de apresentações da Paixão de Cristo. Espetáculo acontece nos dias 20 e 21 de abril, às 19h30. Ao todo, 35 personagens. Entrada: 1 kg de alimento não perecível.

Em São Miguel dos Campos (Praça de Eventos), a 23ª edição, que ocorre nesta sexta (19) e sábado (20), às 20h conta com a participação de  170 atores  que prometem atrair os religiosos. A entrada é gratuita.

Em Roteiro (estádio de futebol) a peça será apresentada no dia 21 de abril, ás 20h. Entrada gratuita.

Já em Palmeira dos Índios (Alto da Serra do Goiti, próximo à estátua do Cristo Redentor) o espetáculo será apresentado durante os três dias, às 19h30. O público vai relembrar a história com a encenação de 140 atores.

Em Palmeira dos Índios, espetáculo será apresentado durante os três dias (Foto: Assessoria)

Outras cidades alagoanas também estão realizando apresentação cultural com vasta programação.

 

 

Fonte: Tribuna Hoje / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH