Interior

13 de abril de 2019 10:28

Seis opções para feriado da Semana Santa em Alagoas

São lugares incríveis e diferentes, longe de praias e com história, arte e cultura em municípios diversos

↑ Igrejas dos séculos XVII e XVIII junto com alguns museus formam belo centro histórico de Penedo (Foto: Divulgação)

A Semana Santa está chegando e é mais um momento de lazer para desfrutar com a família e amigos. Apesar de ser um feriado em que muitos cristãos aproveitam para praticar o turismo religioso em busca de manter seu contato com a espiritualidade, preferindo ir às cidades históricas que tenham uma programação de atividades religiosas, temos também aquelas pessoas que querem viajar em curto prazo nos municípios próximos de Maceió com o intuito de descansar.

Então esqueçam as lindas praias do Litoral Norte, as águas aquecidas das praias do Litoral Sul. Dizem que Semana Santa pede montanha, caminhadas, preces e orações. Por isso, faltando uma semana para o último feriado da temporada, antes da quadra chuvosa, a Tribuna Independente selecionou seis lugares incríveis para quem quer curtir, pelo menos em parte, o espírito da Páscoa.

Piranhas

A cidade histórica é referência quando o assunto é cangaço, o que a consagra como a terceira mais visitada em Alagoas. O passeio cultural pela chamada Rota do Cangaço segue os passos de Lampião, Maria Bonita e seu bando. O caminho conta com formações rochosas e praias fluviais ao lado do Rio São Francisco. No centro do município há de se notar as casinhas, casarões e igrejas antigas que resistem ao tempo. No mirante secular, uma vista única do Velho Chico se forma, especialmente no pôr do sol. No centro da cidade ou nos bairros mais distantes existem boas opções de hospedagem e restaurantes.

Atalaia

Cerca de 50 km de Maceió, o município de Atalaia conta com o Santuário Ecológico Fazenda de Santa Tereza. A reserva particular abriga um criadouro de aproximadamente 450 animais apreendidos pelo IBAMA, que ali recebem tratamento adequado e atendimento veterinário até estarem aptos a voltar para seu habitat natural. O público pode se banhar na exuberante represa de águas azuis e cristalinas. A dificuldade é em relação ao funcionamento, pois o local nem sempre está aberto para visitação. A cidade também não possui estrutura de hospedagens.

Penedo

Além do Rio de Janeiro, o Estado de Alagoas também tem uma cidade chamada Penedo, que foi o primeiro povoado local. Igrejas dos séculos 17 e 18 junto com alguns museus formam o charmoso centro histórico de uma das cidades mais belas do Nordeste. Um dos grandes atrativos é o passeio de barco até a vizinha Piaçabuçu, onde há lagoas de águas azuis e dunas.

Serra da Barriga

O Brasil tem uma forte cultura de resistência oriunda de grupos quilombolas. Foi na Serra da Barriga, em União dos Palmares, que Ganga Zumba, Dandara e Zumbi dos Palmares começaram suas jornadas de luta. Hoje, o local abriga o Parque Memorial Quilombo dos Palmares, que resgata a história do maior quilombo das Américas. O passeio é uma jornada de aprendizado, aproximando o público da capoeira, do artesanato, das ocas indígenas e da gastronomia elaborada pelo povo negro que buscava liberdade. É uma viagem pela própria história do país e suas origens.

Zona Rural de Viçosa

O turismo rural é uma deliciosa imersão cultural e gastronômica. Em Alagoas não é diferente. No povoado de Tangil, fazem sucesso os assados preparados por Elias Vilela Vasconcelos, que fundou o restaurante Trapiá. O lugar preza pela boa comida feita no forno a lenha, aprendida pelo cozinheiro ao longo da vida. E não pense que a simplicidade exclui a qualidade! As hortaliças vêm da horta do próprio rancho; o pernil vem do Uruguai e a picanha, da Patagônia. O carro-chefe, porém, é a costela de porco com redução de balsâmico e rapadura.

Boca da Mata tem Serra de Santa Rita e balneário

Essa cidade revela belezas naturais exuberantes como a Serra de Santa Rita, bicas e balneários como o Balneário Águas de São Bento, a Bica do Arlindo, além das Bicas Baixa Grande e Quebra Carro, ambas em APA (Área de Proteção Ambiental). O ponto de encontro da cidade é a Praça Padre Cícero. A cidade é também conhecida por conta do seu artesanato em madeira, legado do Mestre Manoel da Marinheira.

Palavras como tradição, cultura, costume, fé, diversão e aventura podem, sem problema algum, estarem empregadas numa só parte do município de Boca da Mata. A Serra de Santa Rita, considerada patrimônio natural, reúne características bem convidativas aos que a visitam. Na sexta-feira santa, essa localidade recebe milhares de visitantes, turistas e pagadores de promessas que sobem a serra a pé para receber qualquer que seja uma graça divina.

Revelando belezas naturais exuberantes, a serra de Santa Rita é uma das mais belas de Alagoas e possui mais de 300 metros de altura. Subir até o ponto mais alto da serra, influenciado pela tradição popular dos habitantes da cidade e pela vontade de apreciar a paisagem, é o que atrai milhares de pessoas todos os anos. A crença de que a subida até o alto da serra trará o perdão de pecados está em todos os lugares.

Outro cartão postal é o Balneário Águas de São Bento. Nomeado pelo rio que corta a região, o lugar se destaca não só pela beleza, mas também pela diversidade de atividades oferecidas aos visitantes. O balneário abre a porteira bem cedinho e as atividades se iniciam às 8:00. Os visitantes são recepcionados com um café da manhã bem reforçado e recebem pulseiras de identificação. Acompanhados por guias, as atividades matinais com muita aventura são distribuídas nos muitos passeios oferecidos.

O balneário também oferece atividade cultural. O museu é composto por mais de mil peças de animais esculpidos na madeira da jaqueira, pelo artista Manoel da Marinheira. As obras fazem parte da coleção do proprietário da fazenda, seu José Tenório e retratam a biodiversidade brasileira em diversos tamanhos e modelos.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Claudio Bulgarelli – Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH