Interior

27 de março de 2019 08:33

Ibama fecha bares e restaurantes nas Bicas do Boqueirão

Estabelecimentos foram lacrados por falta de licença ambiental para funcionarem

↑ Barreiras do Boqueirão - Litoral Norte (Foto: Divulgação)

Uma operação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) deixou bares e restaurantes fechados durante todo o dia desta terça-feira (26) no povoado Barreiras do Boqueirão, em Japaratinga. A ação feita pelo órgão ambiental deixou os donos de estabelecimentos atônitos sem saber o que fazer de agora em diante. Equipes do Ibama estavam na cidade turística desde a semana passada e na manhã desta quarta-feira (27) os estabelecimentos amanheceram lacrados por falta de licença ambiental.

A ação do Ibama, atendendo pedido da Superintendência do Patrimônio da União (SPU), fechou os três estabelecimentos do povoado. O motivo do lacre é a falta de licença ambiental para o funcionamento dos estabelecimentos no município de Japaratinga. São dezenas de trabalhadores nos pontos que estão parados e os proprietários já alegam prejuízos. Os trabalhadores tiveram que cruzar os braços.

Os bares e restaurantes ficam localizados nas famosas Bicas de Barreiras do Boqueirão.  O local é um dos mais visitados de Japaratinga e os turistas que forem à localidade por esses dias vão encontrar os estabelecimentos fechados.

Em maio de 2018 uma operação conjunta envolvendo fiscais do Ibama, com apoio da Polícia Ambiental da Polícia Militar, lacrou 25 restaurantes na orla urbana de Maragogi. A operação foi realizada com o objetivo de dar continuidade às ações de fiscalização nas ocupações irregulares em área da União (terreno de Marinha) e áreas de preservação permanente (APP), que são áreas comuns para uso público.

Também naquela ocasião as equipes de fiscalização do Ibama, Patrimônio da União Alagoas e Batalhão Ambiental, estavam dando continuidade à operação no litoral norte vistoriando empreendimentos hoteleiros, pousadas e restaurantes, entre as praias de Japaratinga e Maragogi. Foram realizados levantamentos da situação de sistemas de esgotamento sanitário, posição das edificações com relação à faixa de areia e danos ambientais da atividade.

Fonte: Tribuna Hoje / Claudio Bulgarelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH