Interior

19 de março de 2019 08:12

Pai recorre ao Ministério Público Estadual para garantir matrícula

Secretaria de Educação em Girau do Ponciano cancelou o cadastro em fevereiro deste ano

↑ Roberto Pereira Martins com o documento enviado ao MP Estadual (Foto: Davi Salsa)

O servidor público Roberto Pereira Martins procurou o Ministério Público Estadual (MPE) e formulou denúncia, a fim de garantir a matrícula de sua filha de apenas um ano e cinco meses em uma creche, mantida pela Secretaria Municipal de Educação, na cidade de Girau do Ponciano, no Agreste de Alagoas.

A denúncia foi recebida pelo promotor Rodrigo Soares da Silva, mas, segundo o pai da menina, até o momento nenhuma ação foi concedida para assegurar o ingresso da garotinha na creche.

Segundo revela Roberto Martins, a sua via-crúcis, juntamente com a esposa, começaram no dia 20 de janeiro deste ano. O casal foi até a porta da Creche Professora Luciene Jerônimo da Rocha, localizada no bairro São Tarcísio, e ficou até a manhã do dia seguinte aguardando a abertura do portão para fazer a matrícula da filha.

O servidor público conta que foi bem recebido pela direção e funcionários da creche durante o processo de inscrição da garotinha no estabelecimento.

Porém, no dia 13 de fevereiro, Roberto Martins diz que sua esposa recebeu um telefonema de uma funcionária da creche, justificando que a Secretaria Municipal de Educação havia cancelado a matrícula da menina.

“Ficamos muito surpresos e fomos informados que o encerramento do novo cronograma era naquele dia e teríamos de providenciar mais documentos para a nova matrícula de nossa filha”, lembra.

O servidor público frisa que, por conta de a ligação telefônica ter sido feita no mesmo dia, e devido ao excesso de documentação exigida pela direção do estabelecimento, sua filhinha de apenas um ano e cinco meses acabou ficando de fora da creche.

VERSÃO

O secretário municipal de Educação, Dênis Carlos, alega que a atual gestão encontrou a creche totalmente fechada há mais de dois anos. “Fizemos melhorias no prédio, organizamos o calendário e normatizamos o acesso para a creche atender famílias de baixa renda do bairro e de outras localidades de nosso município”, explica.

Fonte: Tribuna Independente / Davi Salsa

Comentários

MAIS NO TH