Interior

3 de outubro de 2018 08:46

Professores param em São Luís do Quitunde

Categoria cobra, entra outras coisas reajuste salarial e pagamento de atrasados

↑ Professores cobram da prefeitura de São Luís do Quitunde o cumprimento de demandas da educação (Foto: Assessoria/arquivo)

Centenas de professores do município de São Luís do Quitunde, na região Norte de Alagoas, deram início na tarde de terça-feira (2) a uma paralisação de 24 horas em suas atividades. Concentrados em frente ao prédio da prefeitura e com faixas, eles decidiram parar os trabalhos até que uma série de cobranças ao governo municipal sejam atendidas.

Entre as várias cobranças dos educadores estão o pagamento dos salários atrasados dos servidores contratados; salários referentes ao mês de agosto para efetivos que recebem acima de R$ 2.500,00; data-base 2018 para aplicação do reajuste de 6,81%; enquadramento de funcionários por tempo de serviço e formação e os precatórios do Fundef. Os professores, com palavras de ordem, declararam que estão inconformados com os anseios não atendidos.

“Queremos que a prefeitura cumpra os compromissos firmados. O Sinteal também vai pedir ao Ministério Púbico Federal [MPF] que intervenha em relação aos precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério, o antigo Fundef”, completou.

Os professores decidiram em assembleia que no próximo dia 18 de outubro haverá uma paralisação novamente e uma audiência com a prefeita Fernanda Cavalcanti para discutir os pontos pendentes.

No fechamento dessa matéria a prefeitura informou que fez os pagamentos que estavam em atraso.

Fonte: Tribuna Independente / Cláudio Bulgarelli

Comentários

MAIS NO TH