Interior

21 de julho de 2018 20:01

SBPC Educação finaliza atividades no Campus Arapiraca

Evento contou com diversas atividades que colocaram a educação como principal tema de discussão e superou as expectativas da organização

↑ Mesa Educação e Inclusão debateu o direito à educação (Foto: Assessoria da Universidade Federal de Alagoas)

Esta sexta-feira (20) marcou o último dia de realização da SBPC Educação no Campus Arapiraca. Ao longo da programação, minicursos, mesas-redondas e oficinas discutiram aspectos da prática pedagógica, abordando temas que fazem parte do atual contexto sócio-político brasileiro.

Para o professor Marcelo Karloni, coordenador do evento em Arapiraca, a SBPC Educação superou as expectativas da comissão organizadora, especialmente em relação ao número de participantes. Segundo Karloni, mais de 400 pessoas estiveram presentes nas atividades entre alunos de licenciaturas, professores da rede pública e a comunidade em geral.

Sobre o processo de organização, o coordenador conta que foi um grande desafio devido à natureza da Universidade, que possui campi em diferentes cidades, o que demandou um trabalho construído coletivamente. De acordo com ele, a comissão organizadora foi formada em outubro de 2017 e realizou reuniões mensais para articular a programação. “Foi necessário um grande esforço por parte das unidades para abrigar um evento desse tamanho”, explica.

Minicursos e oficinas

Voltados para a comunidade acadêmica e também para profissionais da rede pública de ensino, os minicursos e oficinas realizados durante a SBPC Educação tiveram como foco a formação de educadores.

Para a professora Renata Maynart (Ufal), a decisão de incluir essas atividades na programação foi fundamental. “Elas permitiram, além de discussões teóricas, a possibilidade de problematizar aspectos voltados à prática pedagógica, formação de professores e outros temas relevantes”, afirmou.

Na manhã da sexta-feira o destaque foi o minicurso Diálogos sobre a evasão escolar, ministrado pelos professores da Ufal Janine Cardeal e Reinaldo Batista, que lotou o auditório do campus. A pauta da atividade foram as principais causas da evasão escolar, problema que historicamente se coloca como desafio para as escolas de ensino fundamental e médio.

A professora Janine destaca que abordar esse tema na SBPC Educação é de fundamental importância para promover mudanças na esfera educacional. “Movimentos como o desta manhã são imprescindíveis para que possamos romper com uma consciência ingênua da realidade e, assim, avançar na busca pela compreensão das relações educacionais e políticas que se desenvolvem no cenário social brasileiro”, comentou.

Mesas-redondas

As mesas-redondas da SBPC Educação promoveram a troca de conhecimento entre seus palestrantes e o público, o que aconteceu por meio de debates sobre diversos aspectos da prática pedagógica. Durante a tarde do último dia alguns temas tratados foram a inclusão, o ensino de física e a educação ambiental.

Docente do curso de Pedagogia da Ufal, a professora Maria Dolores participou da mesa-redonda Educação inclusiva. Na ocasião, ela contou sua própria experiência enquanto portadora de artrite reumatoide, apresentando os principais desafios com que se deparou durante sua vida escolar.

Para a professora, abordar o tema da inclusão é essencial para a formação de cidadãos de todo o país. Ela também comentou as principais dificuldades de acesso encontradas pelos deficientes ainda hoje. “Além das barreiras arquitetônicas, existem as audiovisuais, entre outras. É preciso entender que a sociedade é uma imensa teia de diversidades e cada um deve ter o direito ao seu lugar”, conclui.

Convidado para falar sobre o tema A física além da sala de aula, o professor Carlos Argolo Pereira (Ifal), afirmou que o objetivo da mesa é facilitar o entendimento da disciplina e conduzir as teorias físicas para o cotidiano.

“Os problemas que vamos abordar hoje são o ensino da física além da sala de aula e como transportar a física, que é a ciência que estuda a natureza, para o nosso dia a dia. Queremos passar o que os alunos aprenderam durante o ensino fundamental e médio, de forma simples e prática”, explicou Argolo.

Apresentação de trabalhos

Pesquisadores do ensino superior e do ensino médio tiveram a oportunidade de expor os resultados de seus projetos de pesquisa e extensão nos dois dias de realização da SBPC Educação. Os banners ficaram expostos nos corredores do Campus Arapiraca, onde o público podia circular livremente e conferir os trabalhos.

Gabriel Soares é aluno do ensino médio e participou da exposição com seu trabalho desenvolvido no laboratório da escola. O adolescente criou junto de sua professora um suplemento alimentar para ser consumido por galinhas caipiras, feito à base do caroço de jaca e das folhas da beldroega. Apesar de não querer seguir o caminho da química, o garoto diz que a pesquisa foi fundamental para aprender como usar os métodos científicos.

Os graduandos de Letras Vitor Silva e Yanne Almeida, da Uneal de Arapiraca, apresentaram os resultados de um projeto de extensão. Eles ministraram uma oficina de escrita de crônicas para estudantes de ensino médio a partir da leitura de Graciliano Ramos.

Para Yanne, a Reunião da SBPC é importante como promotora da troca de experiências e para ver os progressos de pesquisas de outras áreas. Já para Vitor, os resultados precisam ser expostos, pois é necessário tirá-los do papel. “As pesquisas das licenciaturas precisam ser compartilhadas para que as melhorias sejam postas em prática”, complementa o estudante.

Fonte: Assessoria da Universidade Federal de Alagoas / Texto: Renata Menezes

Comentários

MAIS NO TH