Esporte

1 de maio de 2021 08:09

Clássico das Multidões deste sábado vale a liderança do Alagoano

CSA e CRB tiveram baixas por conta da Covid-19, mas devem entrar com força máxima no Estádio Rei Pelé

↑ Rodrigo Pimpão e Reginaldo se encontram outra vez neste sábado no clássico entre CSA e CRB (Foto: Ascom CSA)

Eles estão frente a frente outra vez. Neste sábado o clássico das multidões agita os corações de regatianos e azulinos. E vale a liderança do Campeonato Alagoano. A partida no Rei Pelé começa às 17h e seguindo os protocolos de saúde, com portões fechados ao público. Nos bancos de reserva, a Covid-19 também afastou os dois treinadores. Roberto Fernandes e Bruno Pivetti estão isolados após testarem positivo. Será o clássico dos interinos no comando técnico.

Pela boa fase dos dois, os centroavantes Dellatorre e Lucão são candidatos a estrela de seus times. Ambos são titulares e querem decidir a parada. Lucão do Break chegou ao CRB na temporada passada. Ao todo, tem 27 partidas com a camisa regatiana e dez gols marcados. É o artilheiro do Galo na temporada, com sete gols, e uma das principais peças da equipe para enfrentar o maior rival. Dellatorre já balançou a rede 11 vezes em 15 jogos disputados. Sem dúvida, é uma das apostas do Azulão para tentar vencer o rival.

No primeiro clássico do ano, dia 14 de março, o duelo mostrou que ainda há bastante equilíbrio entre os rivais. Pelo Nordestão, o CSA dominou o primeiro tempo, abriu o placar, com Norberto, contudo, viu o CRB recuperar terreno na etapa final. Diego Ivo, de cabeça, deixou tudo igual. Os dois times vem um momento de pressão. “A pressão, onde a gente estiver, vai sempre existir, da parte do torcedor, da parte da imprensa, e a gente precisa aprender a lidar com isso. Eu, particularmente, aprendi muito a lidar com isso. É natural. A gente procura sempre melhorar, corrigir os erros no dia a dia. Mas é uma construção, e leva um certo tempo”, disse o atacante Pimpão do CSA.

GALO

Na lateral esquerda, Guilherme Romão se recupera de Covid e, após dez dias de isolamento, tem chance de atuar. Se não der para ele, Hugo segue na equipe. Outra dúvida está na zaga. Ewerton Páscoa foi titular contra o CSE, mas ainda disputa posição com Eduardo Moura (ex-Anápolis), que chegou nesta semana e está regularizado. O também defensor Matheus Mega foi inscrito na CBF e deve compor o banco.

O meio-campista Wesley voltou a treinar neste mês, mas não atua desde o dia 14 de março, justamente no último clássico contra o CSA. Por isso, ainda disputa posição com Carlos Jatobá. Uma provável formação tem: Diogo Silva; Reginaldo, Gum, Páscoa (Eduardo Moura) e Hugo (Guilherme Romão); Claudinei, Carlos Jatobá (Wesley) e Diego Torres; Hyuri, Calyson e Lucão.

AZULÃO

A grande vantagem do CSA é manutenção da base. O time tem uma espinha dorsal montada desde a temporada passada. Jogadores como Thiago Rodrigues, Norberto, Geovane, Gabriel e Rodrigo Pimpão fazem parte da equipe e já têm entrosamento. Peças importantes que chegaram neste ano foram os atacantes Marco Túlio e Dellatorre, artilheiro da equipe, com 11 gols, em 15 jogos.

A formação base do CSA tem: Thiago Rodrigues; Norberto, Lucão, Matheus Felipe e Vitor Costa; Geovane, Silas e Gabriel; Rodrigo Pimpão, Marco Túlio e Dellatorre.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários