Esporte

25 de outubro de 2020 20:12

Presidente do São Caetano diz que goleada de 9×0 sofrida na Série D é ‘resultado comum’

Nairo Ferreira elogiou jogadores das categorias de base que evitaram W.O. do Azulão na competição nacional

↑ Nairo Ferreira, presidente do São Caetano (Foto: Fabricio Crepaldi / Globo Esporte)

O presidente do São Caetano, Nairo Ferreira, minimizou a goleada sofrida por 9 a 0 para o Pelotas, no último sábado, em duelo válido pela nona rodada da Série D do Campeonato Brasileiro. A derrota sofrida pelo Azulão foi a maior da história em um jogo válido pela quarta divisão nacional.

Em carta aberta publicada em uma rede social, Nairo Ferreira preferiu exaltar os jogadores das categorias de base que entraram em campo e evitaram que o São Caetano desse um W.O. ao Pelotas, que pela regra venceria a partida por 3 a 0. Isso poderia acontecer após jogadores, membros da comissão técnica e funcionários do clube entrarem em greve alegando quatro meses de salários atrasados.

“Ninguém entra em campo para perder, mas esse é um resultado comum em competições. Um perde outro ganha” afirmou Nairo Ferreira.

A derrota afundou ainda mais o São Caetano na lanterna do Grupo 8. Com apenas cinco pontos, o Azulão soma uma vitória, dois empates e cinco derrotas, com saldo de 15 gols negativos.

Campeão da Série A2 do Campeonato Paulista, o São Caetano rompeu parceria com um grupo de investidores no último mês e sofre com problemas financeiros. Logo após o título, o técnico Alexandre Gallo deixou o clube.

Sem acordo com boa parte do elenco que conseguiu o acesso à elite do Paulistão, a solução encontrada pelo São Caetano para poder entrar em campo foi usar jogadores das categorias de base, com o elenco sendo completado com apenas oito jogadores do profissional, mas que vinham sendo pouco aproveitados.

A derrota sofrida pelo São Caetano para o Pelotas supera a maior goleada registrada na história da Série D do Brasileiro. Na temporada 2011, o Plácido de Castro, do Acre, derrotou o Vila Aurora-MT, por 9 a 1.

Fundado em 1989, o São Caetano foi presidido por Nairo Ferreira durante 30 anos. Após deixar o comando do clube no fim do ano passado, ele retomou a presidência após seis meses, o que gerou desgaste com o grupo de investidores que injetava dinheiro.

Em três décadas de história, o São Caetano viveu seu auge no início dos anos 2000, quando foi campeão paulista (2004), duas vezes vice brasileiro (2000 e 2001), além de vice da Libertadores (2002).

Confira abaixo a nota do presidente Nairo Ferreira

Eu, Nairo Ferreira, presidente do A.D São Caetano, venho por meio desta nota, enaltecer os atletas que hoje entraram em campo.

Sabemos que o desejo de alguns eram que não entrássemos em campo, o VERGONHOSO W.O.

O que graças ao empenho dos verdadeiros amantes do clube não ocorreu. Ninguém entra em campo para perder, mas esse é um resultado comum em competições. Um perde outro ganha.

O que temos a glorificar esses guerreiros, abaixo de Deus , foi a coragem e determinação. Mesmo com salários atrasados e outras razões que os poderiam desmotivar, foram a luta.

O resultado da partida não ofuscará o brilho desses GUERREIROS AZUIS.

Entraram para história deste humilde clube com louvor, superaram as expectativas, foram para guerra, voltaram feridos, mas não abandonaram seu brasão carregado ao peito.

Seus familiares e amigos certamente sentirão muito orgulho de vocês.

Prometo me dedicar tomando como exemplo essa atitude de vocês, não medirei esforços em colocar a vida econômica do clube em ordem, e que num futuro próximo se orgulhem ainda mais de terem vestido a camisa do AZULÃO DO ABC.

O futebol pode passar por dificuldades, mas não ser envergonhado com a recusa de entrar em campo.

Fonte: Globo Esporte

Comentários