Esporte

11 de agosto de 2019 19:15

De virada, Botafogo bate o Athletico e cola no G6 do Brasileirão

Thonny Anderson abriu o placar, mas viu Luiz Fernando e Diego Souza garantirem a vitória do Fogão

↑ Botafogo bateu o Athletico no Nilton Santos (Foto: Vitor Silva / BFR)

O Botafogo venceu de virada o Athletico na tarde deste domingo, no Rio de Janeiro, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Jogando no Nilton Santos, o Alvinegro saiu atrás no início do primeiro tempo, mas soube virar o placar para 2 a 1 e somar os 3 pontos em casa.

Thonny Anderson marcou para o Furacão, e Luiz Fernando e Diego Souza, de pênalti, decretaram a vitória Alvinegra.

Esta foi a segunda vitória seguida do Botafogo, que bateu o Avaí fora de casa no último domingo, e agora chega aos 22 pontos, na sétima colocação, dois a menos que o Corinthians, último dentro do G6. Ainda com um jogo a menos na tabela, o Athletico estacionou nos 19 pontos.

Pela 15ª rodada do Brasileirão, o Botafogo vai encarar o Corinthians no próximo sábado, fora de casa, na Arena de Itaquera. Já o Furacão, no mesmo dia, terá pela frente o Atlético Mineiro, na Arena da Baixada. Antes, porém, a equipe paranaense começa a disputa por uma vaga na final da Copa do Brasil diante do Grêmio, na quarta-feira, em Porto Alegre.

O Jogo

O Botafogo iniciou a partida tentando controlar a posse de bola, mas foi surpreendido pela intensidade de jogo do Athletico. Mesmo fora de casa e com um time cheio de reservas, o Rubro-Negro paranaense partiu em busca do gol logo no início.

Nos primeiros 15 minutos de jogo, só deu Furacão, que obrigou Gatito a fazer duas defesas importantes e ainda teve um pênalti não marcado quando o zagueiro João Paulo puxou a camisa de Braian Romero na área após escanteio da esquerda.

O Athletico abriu o placar aos 15. Bola levantada na área em cobrança de falta cobrada pelo lado esquerdo, a defesa afastou mal e Thonny Anderson pegou o rebote e chutou rasteiro.

Após o gol, a equipe paranaense diminuiu o ritmo e o Botafogo equilibrou o jogo, mas só conseguiu sua primeira chance de gol aos 18, na cobrança de um escanteio. Rodrigo Pimpão cobrou e Marcelo Benevenuto cabeceou rente ao poste.

Sem conseguir penetrar na defesa paranaense, o Bota apelou para os cruzamentos na área, e chegou ao empate aos 30, numa falha do goleiro Caio. Benevenuto levantou na área, Caio saiu mal e se atrapalhou com o zagueiro Pedro Henrique, e a bola sobrou para Luiz Fernando testar para a rede.

O empate animou a equipe carioca, que assumiu o controle da partida. Aos 33, Joel Carli acerta o travessão em cabeceio após escanteio cobrado por Gilson.

As duas equipes retornaram para a etapa final sem alterações. O Botafogo continuou martelando em busca da virada, mas foi o Furacão que chegou com perigo pela primeira vez em cabeceio de Leo Cittadini aos 10, depois de cruzamento de Abner Vinícius.

O Bota respondeu aos 13, e só não marcou porque o goleiro Caio fez gande defesa após chute cruzado de Luiz Fernando. O jogo era equilibrado e as duas equipes lutavam muito por cada bola.

Aos 15, lance polêmico na área do Athletico. Marcinho cobrou escanteio da esquerda, Diego Souza cabeceou e a bola desviou no braço de Joel Carli e entrou. O VAR foi acionado e o árbitro anulou o gol após rever o lance no vídeo.

O Botafogo não desanimou e finalmente chegou à virada em cobrança de pênalti por Diego Souza, aos 31 minutos. Aos 29, Lucas Campos entrou na área pela direita e foi parado com falta por Pedro Henrique. Depois de consultar o vídeo, o árbitro Douglas Marques das Flores marcou a infração. O camisa 7 cobrou forte do lado esquerdo e Caio foi para o outro lado.

O técnico Tiago Nunes foi para o tudo ou nada e trocou duas peças. Os atacantes Vitinho e Pedrinho substituŕam o meia Tomás Andrade e o volante Léo Cittadini.

O jogo continuou movimentado até o final. O Botafogo teve chance de ampliar aos 41 em jogada de contra-ataque que culminou com chute de Bochecha dentro da área, que Caio defendou. No finalzinho, foi a vez de Gatito salvar o empate em dois lances, aos 48 e 49 minutos.

O jogo ainda teve mais um lance polêmico aos 51. Joel Carli empurrou Madson dentro da área, mas o árbitro não assinalou o pênalti para o Furacão.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 2 X 1 ATHLETICO

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 11 de agosto de 2019 (Domingo)
Horário: 16h(de Brasília)
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)
Cartões Amarelos: João Paulo, Rodrigo Pimpão (Bota); Léo Cittadini (Athletico)
Renda: R$ 220.526,00
Público: 7.992 presentes (6.696 pagantes)
Gols:
ATHLETICO: Thonny Anderson, aos 15min do 1º tempo
BOTAFOGO: Luiz Fernando, aos 30 min do 1º tempo; Diego Souza, aos 31min do 2º tempo

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Marcinho, Joel Carli, Marcelo Benevenuto (Kanu) e Gilson; Gustavo Bochecha (Jean), Cícero, João Paulo e Luiz Fernando; Rodrigo Pimpão (Lucas Campos) e Diego Souza
Técnico: Eduardo Barroca

ATHLETICO: Caio; Madson, Lucas Halter, Pedro Henrique e Abner Vinícius; Lucho Gonzáles, Rossetto, Léo Cittadini (Pedrinho), Tomás Andrade (Vitinho); Braian Romero, Braian Romero e Thonny Anderson
Técnico: Tiago Nunes.

Fonte: Gazeta Esportiva

Comentários

MAIS NO TH