Esporte

14 de junho de 2019 01:35

São Paulo arranca empate do Atlético e atrapalha planos do Galo

Após a Copa América, o São Paulo receberá o Palmeiras, no Morumbi

↑ Foto: Reprodução

A luta do São Paulo continua: a equipe não vence há sete jogos. Na noite desta quinta-feira, contra o Atlético, no Independência, pelo Campeonato Brasileiro, as equipes ficaram no empate por 1 a 1, e, apesar da ausência de triunfos do Tricolor, o resultado não pode ser considerado ruim para os paulistas.

O grupo de Cuca começou perdendo o jogo. Ainda no primeiro tempo, com a contribuição do VAR, o Atlético marcou o primeiro tento no finalzinho da etapa inicial. Na volta do intervalo, o São Paulo conseguiu o empate, mas em poucos momentos o Tricolor conseguiu ser superior. De fato, as entradas no intervalo foram benéficas ao time paulista.

Com a igualdade, o São Paulo chega aos 14 pontos, na nona colocação do Campeonato Brasileiro. Já o Atlético caiu para a quinta posição, com 16 tentos.

Após a Copa América, o São Paulo receberá o Palmeiras, no Morumbi, no domingo, 14 de julho. Já o Galo vai até Chapecó, no mesmo dia.

Primeiro tempo

O Atlético entrou em campo com uma formação sem o atacante Ricardo Oliveira – que vive jejum de nove jogos sem um gol. O garoto Alerrandro, por outro lado, pede passagem e conquistou a posição para tentar contribuir com o Galo.

Do outro lado do campo o Atlético reencontrava um antigo treinador. O técnico Cuca, hoje comanda o São Paulo, fez história com a camisa alvinegra, conquistou a Libertadores e deixou a base pronta para também comemorar o título do Brasileirão. Com todo esse histórico, Cuca conhece o poder do Galo no Independência. Com isso, criou uma maneira de atrapalhar os planos atleticanos.

O São Paulo pressionou o Galo, foi para o ataque, tentou jogo nos primeiros minutos. Não teve uma postura fechada, esperando o Atlético, querendo contra-ataques. A equipe atacou. E a estratégia funcionou nos primeiros minutos. O clube da casa não esperava a postura paulista e se assustou.

O Galo levou alguns minutos para entender a partida. Após os 10 minutos, o clube alvinegro passou a dominar o jogo. Viu o São Paulo perder aquela intensidade inicial e dominou o meio campo. O Tricolor ficou acuado e o Galo partiu para cima.

Aos 16, em cruzamento na área, Igor Rabello conseguiu bom desvio e a bola passou pelo lado direito de Volpi. No minuto seguinte, Patric fez bela jogada individual e conseguiu escanteio para o Galo. A equipe preta e branca passou a trocar passes no meio campo e ter a bola.

O Atlético tinha Cazares muito deslocado para a ponta esquerda, mas que era o principal armador da equipe. Luan também contribuía na armação, mas atrapalhava pelo ponto de vista de profundidade. Chará também não ia pelo lado da linha de fundo e afunilava no meio.

No finalzinho do primeiro tempo o Galo voltou a pressionar. Após uma sequência de escanteios o Atlético abriu o placar: aos 43 Igor Rabello fez o desvio de cabeça e Alerrandro colocou para o fundo das redes. O bandeira marcou impedimento, mas Vuaden chamou o VAR e percebeu um toque de Toró que validou o tento.

Segundo tempo

O São Paulo voltou com alterações para o gramado do Independência. A expectativa de Cuca é ter um meio campo mais povoado e tabelar em alguma situação. O Atlético voltou com a mesma formação.

O Galo tinha mais a bola nos pés, mas não conseguia fazer disso intensidade. Mas era melhor em campo. O desenho tático era exatamente como no primeiro tempo: Cazares na esquerda, Luan centralizado, mas pouca profundidade. Chará apagado pouco apareceu.

O São Paulo apostava nos contra-ataques. Em um deles, aos 13, Pato recebeu a bola na frente, conseguiu o drible e chutou, mas a bola foi para fora. O Atlético tinha muito a bola, mas não criava tanto quanto era necessário.

Com um Galo ineficaz no meio campo e pouco participativo na frente, o São Paulo começou a gostar da partida. A equipe chegou ao empate aos 27. Em boa jogada de Nenê, que tinha acabado de sair do banco de reservas, colocou Pato na cara do gol e o artilheiro chutou forte para superar Victor.

Fonte: Gazeta Esportiva

Comentários