Esporte

26 de maio de 2019 10:38

Ex-jogador Roni é preso por suspeita de fraude e sonegação

A empresa do ex-jogador, foi a responsável, por negociar, em 2015 o mando do jogo entre ASA e Palmeiras pela terceira fase da Copa do Brasil

↑ Roni é um dos principais empresários que compram mandos de campo de jogos das principais equipes brasileiras (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu neste sábado (25/05) o ex-jogador Roni, que defendeu Fluminense, Flamengo e Santos, entre outras equipes. Ele foi detido em Brasília, pouco antes da partida entre Botafogo e Palmeiras, no Estádio Mané Garrincha. O presidente da Federação de Futebol do Distrito Federal, Daniel Vasconcelos, também foi preso.

A empresa do ex-jogador, foi a responsável, por negociar, em 2015 o mando do jogo entre ASA e Palmeiras pela terceira fase da Copa do Brasil. A partida foi levada para o estádio do Café, em Londrina, no interior do Paraná, onde o Alviverde venceu o jogo por 1 a 0, gol marcado por Gabriel Jesus, primeiro gol do atleta como jogador profissional.

De acordo com as primeiras informações divulgadas pela Polícia Civil do Distrito Federal, os presos elaboravam boletins financeiros de jogos com dados falsos, informando valores menores de arrecadação em comparação com a realidade, no intuito de pagar menos impostos. Outro ponto incluso na investigação foi o de que eles conseguiam alugar o Mané Garrincha de forma mais barata – isto por conta de os tributos e o aluguel serem calculados a partir da arrecadação. As buscas também ocorrem em Luziânia e Goiânia, cidades de Goiás.

A investigação aponta indícios dos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, estelionato e sonegação fiscal. Roni é hoje em dia um dos principais empresários que compram mandos de campo de jogos das principais equipes brasileiras. A expectativa é que todas estas transações sejam investigadas, apurando o tamanho da irregularidade de todos os envolvidos.

Fonte: Lance, com NN1

Comentários

MAIS NO TH