Esporte

15 de fevereiro de 2019 01:33

Gustagol salva Corinthians de derrota na Sul-Americana

Reencontro está marcado para o dia 27, em Avellaneda, Buenos Aires

↑ Foto: Gazeta Press

A fase de Gustagol é realmente incrível. Na noite dessa quinta-feira, o centroavante balançou as redes aos 43 minutos do segundo tempo, chegou ao seu sexto tento em nove partidas no ano e impediu a derrota do Corinthians diante do Racing em plena Arena de Itaquera. O empate por 1 a 1 manteve o Timão vivo na luta por uma vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana. O reencontro está marcado para o dia 27, em Avellaneda, Buenos Aires. O empate sem gols servirá aos argentinos em função do gol marcado fora de casa.

A roda feita pelo time do Corinthians segundos antes da boal rolar deu clara mostra do que os jogadores estavam dispostos. Soou o apito inicial e foi possível perceber uma disposição muito semelhante ao que se viu no Derby do Allianz Parque. Uma formação no 4-3-3, com marcação alta e muita disciplina, principalmente sem a bola.

A estratégia dificultou a saída de bola dos argentinos, mas, em pouco tempo ficou claro que era Cássio que estava com maiores problemas para usar os pés em sua defesa. Por muito pouco o goleiro corintiano não entregou um gol ao adversário por duas vezes no primeiro tempo.

O equilíbrio era a tônica do jogo quando dois lances determinaram o placar. Primeiro, os mandantes tiveram a oportunidade de abrir o placar com Vagner Love, cara a cara com Arias. O atacante do amor, no entanto, parou no goleiro de Avellaneda.

Pouco depois, um erro de Sornoza somado ao azar de Henrique e à lentidão de Manoel culminaram no gol do ex-vascaíno Ríos, em chute cruzado, sem chance para Cássio.

Fábio Carille alterou o sistema duas vezes, tentou o 4-2-3-1, mas, a exceção de algumas jogadas aéreas com Gustagol, o time do Corinthians não conseguia encaixar seu jogo. Nem por isso o técnico mudou a escalação no intervalo.

O panorama não se alterou muito, apesar da bola ter passado a ficar mais tempo nos pés dos corintianos. Atrás, Cássio causava calafrios nos torcedores a cada bola recuada. Carille então apostou em Clayson, promoveu a estreia no ano de Sérgio Díaz e colocou ainda mais velocidade com Pedrinho. Ramiro, Love e Jadson foram os escolhidos a sair. A decepção ficou por Mauro Boselli, que não pôde enfrentar seus conterrâneos, apesar de toda vontade demonstrada na beira do campo, durante o aquecimento.

No fim, o Timão pressionou na base da vontade e do talento individual. Chance real de gol, de fato, não houve. O Racing pouco fez nos 45 minutos finais, mas claramente estava satisfeito com o desenrolar da partida.

A torcida já não cantava tão alto quando, de repente, talvez na única forma capaz do Corinthians chegar ao gol, o empate veio. Sornoza cobrou falta na área e Gustagol saltou mais alto que a marcação para cabecear firme. Bola no chão e no ângulo do Racing.

No fim, o empate deu ao Corinthians alívio e um pouco mais de tranquilidade para seguir vivo no confronto pela Sul-Americana e não colocar ainda mais pressão em cima da equipe antes do clássico com o São Paulo, pelo Campeonato Paulista, agendado para domingo, às 19h (de Brasília), de novo na Arena de Itaquera. O Racing voltará ao campeonato nacional, onde é líder e está vivo na briga pelo título.

Fonte: Gazeta Esportiva

Comentários

MAIS NO TH