Esporte

15 de setembro de 2018 08:54

CRB tem confronto direto com o Brasil

Galo tem 29 pontos e vê o adversário gaúcho desesperado com 28 pontos; Doriva muda time e esquema tático para o jogo

↑ Zagueiro Anderson Conceição está de volta ao time titular do CRB diante do Brasil de Pelotas (Foto: Assessoria do CRB)

O chamado duelo de seis pontos acontece fora de casa. Bem longe. Neste sábado em Pelotas-RS, o CRB encara o Brasil às 16h30, no Estádio Bento Freitas, sabendo que o resultado negativo deve colocar o clube outra vez na zona de rebaixamento. A situação dos dois clubes é bem parecida. O Galo tem 29 na 15ª posição. O time do Sul tem 28 e é o 17º colocado. Resta ao Regatas 12 rodadas para o final da competição, mas cada jogo tem um caráter decisivo.

Para este jogo, o técnico Doriva poderá contar com o retorno do zagueiro Anderson Conceição, após cumprir suspensão e o também defensor Lázaro, que poderá fazer a sua estreia pela equipe regatiana. Caso mantenha a mesma base que vinha treinando durante a semana, o treinador deve mandar a campo um time com João Carlos; Diogo Matheus, Everton Sena, Anderson Conceição e Paulinho; Claudinei, Luiz Otávio, Rafael Carioca e Renan Oliveira; Iago e Neto Baiano.

A única baixa confirmada é o volante Lucas, que sofreu lesão no joelho e não deve mais jogar neste ano. Em transição com a preparação física, os volantes Feijão e Tinga e o atacante Mazola ficaram em Maceió.

O elenco está bem confiante e todos falam que não é legal olhar para a parte de baixo da tabela. “Isso parte mais do torcedor rival e vocês da imprensa (possibilidade de queda). Nós jogadores temos que estar com a cabeça focada, cara, sabemos que estamos próximos da zona, apenas um ponto, é uma coisa que incomoda bastante, mas nosso pensamento aqui tem que ser de brigar pelo acesso. Sabemos que é difícil, mas temos sempre que pensar alto. Então, como falei, é esquecer isso de Série C, porque somos um clube grande”, disse o atacante Willians Santana.

O otimismo é tanto que ele fala em Série A. “Temos que brigar e pensar no acesso. Sabemos que é difícil, mas são 36 pontos, então temos condições ainda. Já passei por situações de estar em último e conseguir, em 2014, brigar para subir. Não subimos por um ponto, mas tenho certeza que Deus vai nos abençoar muito nesse campeonato. Temos um grupo experiente, de muita qualidade, sabemos que estamos devendo na competição, mas ainda tem muita coisa para acontecer”.

Fonte: Tribuna Independente / Editoria de esportes

Comentários