Esporte

15 de setembro de 2018 20:25

Brigando contra rebaixamento, Boa e Paysandu ficam no empate

Papão vai a 30 pontos e se mantém como primeiro time fora da zona do rebaixamento

↑ Imagem: Ilustração

Em duelo contra o rebaixamento, que movimentou a 27ª rodada da Série B neste sábado, o Boa Esporte recebeu o Paysandu no Estádio Melão. Ambas as equipes precisavam da vitória para respirar um pouco no Campeonato Brasileiro, no entanto, não saíram do empate e o duelo terminou com o placar de 1 a 1. O gol de empate dos visitantes, porém, foi polêmico, uma vez que saiu de uma cobrança de escanteio, que na verdade deveria ter sido apenas tiro de meta.

Com o resultado, o time da casa vai a 25 pontos e retorna para a lanterna da competição. Para piorar, a diferença para sair do Z4, que poderia ser de dois pontos, volta a ser de cinco. O Papão, por sua vez, vai a 30 pontos e se mantém como o primeiro time fora da zona do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Boa Esporte vai a São Paulo enfrentar o São Bento nesta sexta-feira, às 20h30 (de Brasília), no Estádio Walter Ribeiro. No dia seguinte, às 16h (de Brasília), é a vez do Paysandu entrar em ação, quando recebe o Criciúma, na Curuzu.

O jogo

A partida começou agitada com rede balançando logo nos primeiros minutos. Com três minutos de bola rolando, Maicon Silva cometeu falta em cima de Alyson e o Boa pôde chegar pela primeira vez ao ataque. William Barbio mandou a bola para a área na cobrança de falta, mas a cabeçada foi fraca e acabou saindo pela linha de fundo.

Já no campo adversário, aos cinco minutos, em cruzamento para a área, Douglas Baggio tocou de leve de cabeça e a bola sobrou para William Barbio, que só deu um toquinho para o fundo do gol, abrindo o placar para o Boa. Este foi o quinto gol na Série B de Barbio, artilheiro do time na competição.

O Boa tinha o controle do jogo e quase ampliou a vantagem aos oito minutos, após a cobrança da falta pra área. A bola sobrou para o zagueiro Caíque, que pegou desajeitado e mandou por cima da meta.

A equipe da casa ia trocando passes e administrando a vitória parcial, até que levou um susto. Com 13 minutos de jogo, Carandina achou Mike, que recebeu e bateu na saída do goleiro. Fabrício, porém, operou grande defesa, evitando o empate.

Paysandu cresce e chega ao empate

Na sequência, o jogo deu uma esfriada e no decorrer do tempo, o Paysandu foi crescendo. O Papão começou a chegar com mais perigo, como aos 28 minutos, Fabrício defendeu chute de Mike e na sobra, Renato Augusto tentou o rebote, mas o goleiro do Boa levou a melhor novamente.

Dois minutos depois, porém, o desfecho foi diferente. Em cobrança do escanteio, Hugo Almeida sobiu sozinho e cabeceou para empatar a partida em Varginha. Contudo, o tento foi polêmico, uma vez que o juiz marcou escanteio, em lance que era para ser tiro de meta.

Novamente, poucas emoções em campo. Tentativas de ambos os lados, mas sem êxito. Apenas aos 43 minutos, Fabrício salvou o Boa mais uma vez. Hugo Almeida recebeu cruzamento e bateu de voleio, mas parou em ótima defesa do goleiro, que ainda mandou o placar de 1 a 1 para o intervalo.

Etapa complementar morna, que esquenta apenas no final

A segunda etapa seguiu com um começo morno. A primeira boa chegada foi apenas com 10 minutos, quando Douglas Baggio arriscou de longe a bola bateu na zaga e o lance terminou em grande defesa de Renan Rocha.

Três minutos depois, mais polêmica no Melão. Hélder Maurílio invadiu a área e foi derrubado por Diego Ivo. O juiz, no entanto, apenas mandou o jogo seguir.

A partida era lenta, sem que nenhum dos dois times conseguisse criar oportunidades de gol. Estas só voltaram a acontecer aos 32 minutos, quando no contra-ataque puxado pelo Boa, Daniel Cruz levantou para Douglas Baggio, que se jogou na bola, mas parou em mais uma defesa de Renan Rocha, que salvou o Papão novamente.

O jogo enfim se agitou e quase o Paysandu conseguiu a virada. Aos 35, Pedro Carmona bateu falta de longe, porém viu Fabrício ir no canto fazer mais uma defesa e salvar o time da casa, para alívio da torcida.

A resposta foi imediata com um contra-ataque. Hélder recebeu no meio, mas quando foi bater, não pegou em cheio e desperdiçou boa chance de colocar o Boa na frente novamente.

Os goleiros continuaram tendo trabalho e salvando suas respectivas equipes. Aos 41 minutos, foi a vez de Fabrício evitar o gol de novo, após boa finalização de Pedro Carmona.

Apesar do agito final, a rede não voltou a balançar e o jogo terminou empatado, resultado ruim para ambas as equipes.

Fonte: Gazeta Esportiva

Comentários

MAIS NO TH