Esporte

30 de setembro de 2017 12:11

CSA encara o São Bento

Azulão faz neste domingo, às 19h na cidade de Sorocaba-SP, o primeiro confronto das semifinais da Série C

O projeto era subir. O CSA subiu. Agora é o sonho do título nacional inédito para o futebol alagoano. Neste domingo, às 19h, o Azulão entra em campo no estádio Walter Ribeiro em Sorocaba-SP, para encarar o São Bento, no primeiro mata-mata semifinal do Campeonato Brasileiro da Série C. O time marujo tem o direito de sediar o segundo jogo em Maceió porque somou mais pontos nas quartas de final e na primeira fase. Venceu o Tombense duas vezes, por 2×0 e 1×0, respectivamente, e acumula 38 pontos. Enquanto o São Bento ganhou um jogo do Confiança (2×0) e empatou outro (0x0), tem 35 pontos no geral. É uma situação inversa à do ano passado, na Série D, quando os times se encontraram e a equipe de Paulo Roberto Santos atuou primeiro em Maceió, sendo derrotada por 2×0, e decidiu a vaga à final no interior paulista, onde a vitória por 1×0 foi insuficiente para provocar as cobranças de pênalti.

Na outra semifinal vão jogar Sampaio Corrêa x Fortaleza. O primeiro duelo ocorre nesta segunda-feira, às 20h45, no Ceará, e os times voltam a se encontrar uma semana depois, às 17h, em São Luís do Maranhão. Os quatro semifinalistas já foram promovidos à Série B em 2018.

Michel, artilheiro do time com seis gols, garante que o Azulão vai para cima do adversário. “Estudamos bastante o São Bento, com muitas informações deles. Claro que vamos jogar de igual para igual aqui e lá. Agora que conseguimos o nosso acesso temos o objetivo de ser campeões. E acho que estamos prontos para que isso esteja acontecendo”.

O São Bento é um time em ascensão. O time de Sorocaba deixou de lado problemas financeiros e risco de falência para conquistar, em cinco anos, quatro acessos. Da Série A3 do Campeonato Paulista à Série B do Brasileiro, a equipe do interior paulista mostrou desde o início da Série C que estava disposta a subir de divisão e, agora, quer brigar contra o CSA pelo título nacional.

Comentários

MAIS NO TH