Esporte

26 de dezembro de 2016 17:45

Avião da LaMia caiu por pane seca, aponta investigação oficial

Combustível disponível no voo não era suficiente para contemplar todo o trajeto e a aeronave sofreu uma pane seca antes do choque

A Aeronáutica Civil da Colômbia divulgou nesta segunda-feira os dados da investigação preliminar do acidente que vitimou 19 jogadores da Chapecoense, além de outras 51 pessoas, no último dia 29 de novembro, e apontou falha humana na queda do avião. Segundo o relatório oficial, o combustível disponível no voo não era suficiente para contemplar todo o trajeto e a aeronave sofreu uma pane seca antes do choque.

“(Os pilotos) Estavam cientes de que o combustível não era nem adequado nem suficiente”, nas palavras do secretário de segurança do Governo colombiano, Freddy Bonilla, que concedeu entrevista coletiva nesta tarde.

Mesmo sabendo que a quantidade de combustível não era suficiente, os pilotos não informaram as autoridades. Eles só anunciaram que estavam em situação de emergência seis minutos antes de se chocar. A tragédia ocorreu aos arredores de Medelim e entre as 71 vítimas estavam membros da delegação do time catarinense, além de membros da imprensa, tripulantes e alguns convidados.

“Temos evidências de que nenhum fator técnico influenciou no acidente, tudo está relacionado ao fator humano e administrativo”, completou Bonilla.

O secretário ainda apontou uma sobrecarga de 500 quilos em relação ao peso recomendado. No entanto, este fator não foi determinante para a queda.

O inquérito oficial também informou que as autoridades bolivianas também erraram, aceitando condições “impensáveis”, adotadas pela LaMia. O avião, modelo, RJ85, voou acima de sua capacidade, chegando à altitude de 29.000 pés.

Fonte: Gazeta Esportiva

Comentários

MAIS NO TH