Autos & Motos

29 de julho de 2019 21:12

Professor roda mais de 1 milhão de quilômetros com Ford Verona

Dono registrou todos os custos e a vida útil dos componentes do veículo ao longo desses 27 anos

↑ Reprodução

Rodar mais de 1 milhão de quilômetros é um feito que poucos carros conseguem. O paulista Creso Peixoto, engenheiro, professor e piloto de pequenas aeronaves, atingiu esse marco com seu Ford Verona 1990, que adquiriu em 1992 e mantém até hoje em perfeitas condições. Fã da marca, ele ainda registrou meticulosamente todos os custos e a vida útil dos componentes do veículo ao longo desses 27 anos.

Como reconhecimento a essa lealdade, Creso Peixoto foi recebido pelo presidente da Ford América do Sul, Lyle Watters, na sede da empresa em São Paulo e presenteado com uma placa em homenagem ao marco de 1 milhão de quilômetros.

Nascido em Campinas (SP), o engenheiro civil de 62 anos com mestrado em Transportes viveu muitas histórias a bordo do sedã. Dessa experiência veio o desejo de fazer um diário de bordo do carro, assim como fazia com os aviões.

“Meu primeiro carro foi um Ford Corcel 1973. Desde então, fiquei fã da marca por causa do acabamento e conforto. Por isso, o segundo carro que comprei foi um Corcel versão LDO, que significava ‘Luxuosa Decoração Opcional’. Depois, veio o Verona GLX, que quer dizer Grand Luxo”, conta.

Como bom engenheiro, Peixoto se acostumou a fazer o controle de custos dos seus carros. Na maioria das vezes, rodou cerca de 200 mil quilômetros antes de trocar de veículo. Mas decidiu manter o Verona até os 500 mim km para verificar se a curva de manutenção subiria muito, o que não ocorreu. Então, iniciou um novo desafio: fez um reforço estrutural e resolveu rodar com ele até o hodômetro alcançar 1 milhão de quilômetros. “Eu queria conhecer a evolução dos custos”, diz.

Nesses 27 anos, o Verona consumiu quase 100 mil litros de etanol, 235 litros de óleo no motor e fez 46 trocas de pneus (em duplas).

Fonte: Assessoria

Comentários