Entretenimento

3 de julho de 2020 15:57

‘Novo Mundo’ mudou fim de Domitila, Dom Pedro e Leô: foi bem diferente na vida real

Em “Novo Mundo”, o casal interpretado por Caio Castro e Leticia Colin fez sucesso com o público e acabou ganhando um fim romântico, mas a realidade foi trágica para a imperatriz.

↑ Foto: Divulgação/TV Globo

Apesar dos vários personagens inspirados em figuras históricas reais, “Novo Mundo” tirou uma licença poética para dar desfechos mais fantasioso às histórias deles. Entre os destaques, está o triângulo amoroso que agitou a trama: Dom Pedro I (Caio Castro), Domitila (Agatha Moreira) e Leopoldina (Letícia Colin).

No final da novela, vemos Dom Pedro ser coroado ao lado de Leopoldina, após a reconciliação de final feliz do casal. Enquanto isso, Domitila termina a trama desesperada: ao tentar atirar na imperatriz, ela acaba sendo baleada acidentalmente por Dom Pedro e, depois, é escorraçada da cidade.

Dom Pedro e Leopoldina nunca tiveram reconciliação

Em “Novo Mundo”, o casal interpretado por Caio Castro e Leticia Colin fez sucesso com o público e acabou ganhando um fim romântico, mas a realidade foi trágica para a imperatriz. Segundo historiadores, ela pode ter morrido por consequência de uma infecção severa após o parto. Mas há relatos também de que ela sofria violência doméstica e pode ter sido vítima fatal de agressões de Dom Pedro.

Os últimos meses de vida foram, de fato, muito sofridos: documentos dão conta de que Leopoldina vinha sofrendo de depressão profunda na última gravidez e o principal motivo seria o próprio marido. Na época, Dom Pedro ainda estava envolvido com Domitila, a quem havia nomeado dama de companhia da esposa. Inclusive, boatos correram de que a imperatriz estava sendo envenenada por seu médico, a mando de Domitila.

Em carta enviada para a irmã dias antes da morte, a imperatriz descreveu a tristeza no casamento. “Por amor de um monstro sedutor me vejo reduzida ao estado da maior escravidão e totalmente esquecida pelo meu adorado Pedro. Ultimamente, acabou de dar-me a última prova de seu total esquecimento a meu respeito, maltratando-me na presença daquela mesma que é a causa de todas as minhas desgraças”, escreveu.

Domitila foi expulsa da cidade por Dom Pedro

Tanto em “Novo Mundo”, quanto na história real, Dom Pedro e Domitila não chegaram nem perto de ter um final feliz juntos e a futura marquesa de Santos foi realmente expulsa da corte pelo imperador – mas tudo aconteceu um jeito bem diferente.

Depois da morte de Leopoldina, o relacionamento entre Dom Pedro e Domitila ficou bem estremecido. O imperador precisava se casar novamente, mas sua imagem perante a nobreza europeia era péssima, entre outros motivos, muito por causa da presença constante da amante.

Rejeitado por princesas e herdeiras europeias, Dom Pedro arranjou um casamento com a italiana Amélia de Leuchtenberg, mas a condição era manter a amante bem longe do palácio. Assim, simplesmente expulsou Domitila do Rio de Janeiro. Afrontosa, ela ainda exigiu indenização para ir embora.

Na volta para São Paulo, se afastou da vida de escândalos e, alguns anos depois, casou-se novamente. Desta vez com o militar Rafael Tobias de Aguiar, eleito duas vezes governador da província de São Paulo. Com isso, Domitila se tornou primeira-dama e figura pública influente. Ao lado do marido, se envolveu na Revolução Liberal de 1842 e teve mais seis filhos – além dos cinco que teve com Dom Pedro.

O Reinado de Dom Pedro

Apesar do clima de ousadia e alegria na coroação, como vimos no fim da novela, os anos seguintes do governo de Dom Pedro I foram conturbados e marcados pelos excessos de centralização do poder. Contraditório e impulsivo, o imperador demitiu seu grande conselheiro José Bonifácio e se autoproclamou herdeiro do trono português, o que foi contra a Constituição que ele mesmo outorgou. Essas medidas refizeram os laços entre Brasil e Portugal e criou muitas inimizades, tanto na nobreza, quanto entre o povo.

O imperador ainda causou baixas severas durante a Guerra Cisplatina e com a imagem manchada pela derrota, voltou a Portugal, onde iniciou uma guerra civil após o irmão, Dom Miguel, ter usurpado o trono da própria sobrinha, filha de Dom Pedro.

Quando voltou ao Brasil, a treta já estava fora de controle e a situação ficou insustentável para o governo dele. Pressionado, acabou abdicando do trono em favor de seu filho, Pedro de Alcântara (futuro Dom Pedro II), que ainda era criança e teve José Bonifácio como seu primeiro tutor.

Fonte: Vix / Aline Pereira

Comentários

MAIS NO TH