Educação

18 de janeiro de 2020 11:13

Professora ensina balé para meninas carentes na periferia de Arapiraca

↑ De iniciativa da estudante de Educação Física Fabiana Leonel, projeto começou com três alunas; hoje, aulas têm a participação de 20 meninas (Foto: Davi Salsa)

Para a estudante de Educação Física Fabiana Leonel, não existe sonho impossível quando a pessoa acredita que pode transformar um desejo em realidade.

Moradora do Conjunto Residencial Brisa do Lago, na periferia da cidade de Arapiraca, há cerca de sete meses, a ex-dançarina de bandas de forró vem dedicando a maior parte do seu tempo para ensinar balé a um grupo de 20 meninas que vivem em uma das comunidades mais carentes da Capital do Agreste.

Para tanto, a estudante de Educação Física criou o grupo Ballet Dance Brisa na Ponta do Pé. Fabiana Leonel lembra que as aulas começaram com apenas três alunas e, atualmente, 20 meninas participam do projeto.

“A dança é minha vida. Trabalhei como artista de rua e dançarina em bandas de forró, mas sempre tive o sonho de ser bailarina”, relata.

As aulas de balé são realizadas em um salão improvisado onde funciona a Rádio Comunitária Top FM, na comunidade Brisa do Lago, em Arapiraca.

As dificuldades são muitas para colocar o sonho de criança em prática. Desempregada e mãe de três filhos, sendo uma adolescente de 15 anos, que também é estudante de balé, Fabiana Leonel conta que decidiu dar aulas de balé para custear as despesas da faculdade de Educação Física e ajudar o marido no sustento da família.

Devido às dificuldades financeiras do momento, o espaço onde acontecem as aulas de balé tem apenas o equipamento de som. O local ainda não dispõe de barras de apoio para as alunas e espelhos para as meninas acompanharem os próprios movimentos.

As alunas, com idade entre sete e 11 anos, participam das aulas acompanhadas pelas mães, que registram em fotos e vídeos, com seus próprios telefones, todos os passos das filhas.

“O balé exige muita disciplina e respeito às regras, além de exercícios físicos, alongamento, postura corporal, coordenação dos movimentos e muita interação entre professora e aluna”, salienta.

A estudante de Educação Física também faz questão de agradecer o apoio da Academia de Balé Selma Pimentel. “Sou aluna e estou colocando em prática tudo que estou aprendendo com a Selma, que recebeu um troféu como a melhor professora de balé de Arapiraca”, destaca.

Fabiana Leonel diz que cobra R$ 20 por mês de cada mãe ou pai de aluna para manter o espaço funcionando.

ACADEMIA

“Estou buscando mais apoio de empresários e comerciantes locais para ampliar o projeto e oferecer melhores condições para as meninas”, acrescenta.

A jovem professora de balé vai iniciar, na manhã deste sábado, outro projeto na comunidade, com a primeira turma de aulas de zumba para as mulheres que residem no bairro. “Esse é outro projeto, mas o meu maior sonho mesmo é construir uma grande academia de dança na cidade”, revela.

A moradora Diana da Silva Góis também dança e acompanha a filha Maria Luiza, de oito anos, nas aulas de balé no salão improvisado. Casada e mãe de três filhos, ela conta que concluiu o ensino médio e sonha em ser pediatra.

“Junto a isso, também quero realizar o sonho da minha filha, que estuda na escola municipal, aqui no bairro, e pretende ser uma bailarina famosa quando ficar adulta”, completa.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Davi Salsa – Sucursal Arapiraca

Comentários

MAIS NO TH