Educação

27 de setembro de 2017 10:53

Confira as seis dicas para os principais vestibulares de Medicina

Realizar o sonho de ingressar em uma faculdade pública de Medicina está cada vez mais difícil. Por isso, é preponderante ter uma estratégia de estudos eficiente para vencer essa competição. Segundo estudo do Curso Poliedro, a oferta de vagas nas principais faculdades públicas de Medicina não acompanhou a evolução no número de candidatos nos últimos 37 anos, ocasionando um expressivo aumento na concorrência.

Para se ter uma ideia, o número de vagas oferecido pela faculdade de Medicina da USP em 2017 foi o mesmo que o ofertado em 1980 (175 vagas). Já a quantidade de candidatos por vaga, por outro lado, aumentou 61% no período, totalizando 106 vestibulandos para cada vaga.

A Unifesp, por sua vez, reduziu a oferta de vagas de Sistema Universal, caindo de 125 vagas em 1980 para apenas 61 no último vestibular. Desta forma, a relação de candidato por vaga teve alta de 198%. Esse cenário também é observado nos vestibulares de Medicina da Unesp (aumento de 322% na relação candidato/vaga) e da Unicamp (alta de 1063%). 

Com o objetivo de auxiliar os vestibulandos a conquistarem um lugar nas almejadas faculdades públicas de Medicina, o coordenador da Turma Medicina do Curso Poliedro, Rodrigo Fulgêncio Mauro, listou dicas práticas de estudo. Segundo ele, alguns dos métodos utilizados por estudantes, como fazer resumos, grifar textos, ler muitas vezes o mesmo conteúdo e realizar “decorebas”, não são tão eficientes.

Confira abaixo as orientações do coordenador:

1 – Elabore um plano de estudos eficiente

Para o candidato a uma vaga nos principais vestibulares de Medicina do País, estudar não significa apenas prestar atenção nas aulas. É preciso traçar um plano de estudos eficiente, com uma carga horária pós-aula, que comtemple as matérias cobradas nos vestibulares e, principalmente, o conteúdo no qual o estudante possui maiores dificuldades. Esse calendário deve levar em consideração algumas horas de descanso e descontração. “Em geral, uma rotina de 30 horas de estudos semanais, além do tempo em sala de aula, é uma boa meta, o que gera uma média de 5 horas de estudos por dia. Mas, lembre-se, o plano de estudos é uma referência e deve ser ajustado toda a semana, de acordo com as necessidades”, indica Fulgêncio.

2 – Encontre um local adequado

Procure um ambiente de estudos tranquilo com o menor número possível de distrações. “Não existe problema em ouvir música nesse processo. O importante é encontrar a situação que lhe deixe mais confortável e focado”, ressalta o coordenador.

3 – Preste atenção às aulas

Durante as aulas, não se adiante no conteúdo e não estude outras matérias. A atenção total ao que o professor está explicando é importantíssima no processo de aprendizagem e fixação de conteúdo. Perder aulas ou simulados por conta de eventos, como viagens, festas, passeios, pode prejudicar suas chances de aprovação.

4 – Estude as matérias por grau de dificuldade

Inicie os estudos lendo o caderno com suas anotações e a teoria dos livros. Feito isso, foque nos exercícios, em nível crescente de dificuldade. Não comece pelos mais complicados, porque é importante construir uma boa base antes de avançar para os problemas mais difíceis. E não desista nas primeiras dificuldades. “A agilidade na resolução das questões vem com muito treino, dedicação e empenho”, descreve Fulgêncio.

5 – Faça simulados

Estudar as provas dos anos anteriores pode ser uma maneira eficiente de conhecer o formato, modelo de questões e de testar seus conhecimentos acerca de conteúdos que podem ser cobrados nos vestibulares. Assim, é fundamental realizar os exercícios destas provas.

6 – Seja confiante

Ao longo do ano, é normal ter incertezas e inseguranças, de acordo com o coordenador do Poliedro. O medo de não passar aparece para todos, porém tente manter o foco. Encontre elementos que te motivam a atingir o sonho de ser médico e utilize-os para se manter estudando. Passar no vestibular só depende de você. Portanto, confie em você e nas suas capacidades. 

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH