Educação

28 de junho de 2017 15:53

Em assembleia, servidores do Ifal decidem parar na Greve Geral

De acordo com a deliberação, todos os campi e a Reitoria do Instituto não devem abrir nesta sexta-feira

Dia 30 de junho, os servidores do Ifal vão parar em adesão à Greve Geral contra as reformas trabalhista e da Previdência, contra a terceirização e pelo Fora Temer. A decisão foi tomada na Assembleia Geral Extraordinária, realizada na segunda-feira, 26 de junho, no auditório de informática do Ifal.

De acordo com a deliberação, todos os campi e a Reitoria do Instituto não devem abrir nesta sexta-feira. A categoria marcou de se concentrar, a partir das 6 horas, em frente ao campi Maceió e, a partir das 10 horas, unir-se à manifestação conjunta da greve geral na Praça dos Martírios.

Os servidores das proximidades de Arapiraca também irão às ruas protestar contra as reformas. O ato na cidade terá concentração a partir das 13h30, na Praça Luiz Pereira Lima, Centro da Cidade.

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Educação Básica e Profissional no Estado de Alagoas, Hugo Brandão, os servidores vão aderir em peso ao chamado das Centrais Sindicais e repetir o sucesso da greve geral do dia 28 de abril. “Nossa categoria está consciente dos ataques de Temer contra os direitos trabalhistas, contra a previdência e também contra a existência do próprio Instituto. Por isso, dia 30, iremos paralisar novamente e ir às ruas contra esse governo corrupto”, disse Brandão.

O Sintietfal comunicou oficialmente à reitoria do Ifal a decisão dos servidores de paralisarem nesta sexta-feira, 30 de junho, em adesão à greve geral contra as reformas do governo Temer. O ofício foi entregue nesta terça-feira (27) e assegura aos servidores da instituição o direito democrático de fazer greve e lutar por seus direitos. Confira o documento neste link.

Fonte: Assessoria / Sintietfal

Comentários

MAIS NO TH