Economia

16 de abril de 2021 09:06

Turismo já representa 70% da economia gerada em São Miguel dos Milagres

↑ Praia em São Miguel dos Milagres (Foto: Claudio Bulgarelli)

Para se tornar um destino turístico de fama nacional, num universo onde existem centenas de locais com apelo para o turismo, não basta ter pequenos vilarejos simpáticos, praias praticamente desertas de tons entre o azul turquesa e o verde cristalino, piscinas naturais fantásticas, restaurantes aconchegantes e pousadas pé na areia. É preciso também ter uma boa infraestrutura de serviços administrados pelo município, como limpeza urbana, distribuição de água potável e saneamento básico, além de serviços cobrados por concessionárias, como é o caso da energia elétrica e da segurança, oferecido pelo Governo do Estado.

Esses dois conjuntos de ações podem ser traduzidos em novos empreendimentos hoteleiros, gerando empregos para a população local, mais turistas nas pousadas, gerando economia limpa e mais impostos para os cofres das prefeituras. Em muitas cidades balneárias de Alagoas, o turismo, somente nos últimos 20 anos, já representa boa parte da economia circulante, que faz girar uma roda bem maior.

Em São Miguel dos Milagres, um dos destinos mais procurados no Litoral Norte de Alagoas, a atividade turística já representa quase 70% da economia proporcionada pelo turismo. E se torna ainda mais relevante quando observada toda a cadeia produtiva da atividade que envolve hospedagem, gastronomia, passeios turísticos, transporte e receptivos, artesanato, além de compras em mercadinhos e farmácias, por exemplo.

Toda essa cadeia é extremamente positiva para municípios pequenos que se tornaram recentemente grandes produtos turísticos de Alagoas. Em São Miguel dos Milagres essa economia vem das quase 50 pousadas, 10 restaurantes, além das centenas de passeios de buggy e pelas piscinas naturais. A mudança da prefeitura como maior geradora de empregos e fonte de renda começou há apenas 10 anos, quando o município entrou definitivamente no roteiro turístico nacional com o surgimento das pousadas de charme e das festas de fim de ano.

A revelação desse número de 70% foi feita pelo prefeito Jadson Lessa, que entende a atividade turística como essencial para o desenvolvimento do município. Inclusive, em 2021, a prefeitura estará à frente da revisão do Plano Diretor municipal, importante instrumento para dar novos rumos para a infraestrutura e todas as questões envolvendo o turismo e suas ações sustentáveis.

Fonte: Tribuna Independente / Claudio Bulgarelli

Comentários

MAIS NO TH