Economia

24 de novembro de 2020 08:37

Black Friday: ‘Pesquisar e avaliar necessidade da compra é algo essencial’

↑ Ao TH Entrevista, economista dá dicas de cuidados para não cair em armadilhas no período de promoções (Foto: Edilson Omena)

A Black Friday é sinónimo de descontos e preços baixos. A data mais esperada pelo consumidor para fazer aquelas compras desejada com boas promoções. Mas, apesar da boa oportunidade de conseguir bons descontos, é preciso ter cuidado para não cair em armadilhas.

O TH Entrevista dessa semana conversa com o presidente do Conselho Regional de Economia, Marcos Calheiros que deu algumas dicas de cuidados para aproveitar a Black Friday sem ser prejudicado.

De acordo com o economista, pesquisar e avaliar a necessidade da compra já é o primeiro passo. “Pesquisar em várias lojas o valor do item, olhar a necessidade da comprar e fazer um planejamento do orçamento para os próximos meses é essencial para saber se não cairá em armadilha futura, até porque muitas vezes, as lojas aproveitam este dia para oferecer propostas menos vantajosas para os consumidores. Ou seja, devemos gastar o necessário que esteja em nosso orçamento’’.

Ainda segundo Marcos Calheiros, é importante também que o consumidor analise o produto que deseja e compare-o com outras marcas para certificar-se de que ele supre suas necessidades.

“Importante avaliar sempre o produto, até porque não devemos analisar apenas a marca, mas devemos buscar o que vai ser importante pra gente. Avaliar as taxas de juros, buscar a garantia, observar o preço do dinheiro, o que está embutido na compra, o que não está tudo deve ser avaliado’’, observa.

O especialista também faz um alerta em relação aos preços muito abaixo do mercado. “Existem produtos que, durante a Black Friday, se encontram a preços muitos baixos. Desconfie destes produtos. Repito, pesquisem em mais locais’’.

Para Marcos, por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o consumidor terá mais cuidados e de fato vão avaliar a necessidade de comprar uma vez que muita gente perdeu o emprego e outros têm o medo de ter uma renda hoje e amanhã não ter. “A pandemia mexeu não apenas com o bolso do consumidor como também com o psicológico. Hoje pensamos mais e não compramos por impulso’’.

O economista Marcos Calheiros avalia que os descontos de fato são maiores, mas ressalta que é necessário ter muito cuidado e comprar em sites e lojas tradicionais para não levar golpe. “Eu particularmente gosto de comprar via internet, mas sempre pesquiso e opto por lojas e sites tradicionais – até porque damos nossos dados, número de cartão etc’’, diz.

 

 

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH