Economia

4 de abril de 2020 10:27

Vendas de ovos de Páscoa artesanais caem durante isolamento social

Queda chega a 90%; empreendedoras afirmam que nunca passaram por um período como este e atribuem à pandemia

↑ Ovos gourmet de Ana Theresa; empreendedora não reajustou preços e ainda pensa em fazer promoção (Foto: Arquivo pessoal)

A temporada dos Ovos de Páscoa chegou, no entanto diferente dos anos anteriores, a renda extra para muitas empreendedoras alagoanas que fazem ovos de chocolate caseiros ou gourmet ficou comprometida por conta da pandemia do novo coronavírus – o Covid-9.

A psicóloga Aline Monteiro conta que começou a empreender fazendo bolos para ter uma renda extra, e na Páscoa 2017 surgiu o desemprego. “Como as vendas de alimento é durante todo o ano, a gente tem que adaptar as datas comemorativas’’.

Aline conta que em 2019, o lucro foi muito bom e chegou a mais de R$ 2 mil reais. No entanto, este ano, as vendas caíram mais de 90%. “Sou proprietária da Aline Monteiro Doces Gourmet, trabalho com ovos de Páscoa já faz quatro anos e nunca, nesse intervalo de tempo, passei por uma crise dessa natureza! A minha média de ovos nos dois últimos anos foi 300 ovos vendidos e, até o presente momento, só vendi 10 unidades, o que nos anos anteriores, até esse mesmo período, já tinham sido vendidos entre 100 e 150 ovos. Muito me preocupa, como pequena empreendedora, essa crise causada pelo Covid-19’’.

A empreendedora disse que manteve os valores do ano de 2019, mesmo assim a procura está muito abaixo das expectativas. “O lado positivo de tudo isso é que deixamos para comprar as matérias-primas mediante os pedidos e não temos um grande estoque. Por outro lado, acabei de fazer uma parceria com duas outras pequenas empresas do ramo de festas e lançamos um kit para festas em casa, onde o cliente recebe o bolo, salgados, doces e personalizados no tema da festa. Fazemos a entrega e o cliente não precisa sair da sua casa. Isso está gerando mais procura que os ovos de Páscoa’’, explica Aline.

Quem também está sentindo o impacto é a dona de casa Jeany Macário Rocha que há cerca de três anos investe na área. “Estou à disposição para fazer os ovos, mas não estou produzindo porque não tenho encomendas. Ano passado, nessa época, estava com muitas encomendas e agora estou com duas ou três. Comentei até com meu esposo sobre essa crise. A procura diminuiu. Nem comprei material e nem fiz nada, todo mundo arrasado’’.

Jeany também confirma uma redução de 90% nas encomendas dos ovos de páscoa caseiros ou gourmet. Mas ela conta que se houver procura irá fazer. “Estou aceitando encomendas. E faço a entrega em Delivery para o cliente’’.

“Fiz estoque e estou com o coração na mão’’

A situação da professora Ana Theresa, do município de Paulo Jacinto, Zona da Mata alagoana, que também investiu no ramo alimentício para ter uma renda extra com encomendas de bolos, salgados e ovos caseiros nesse período de Páscoa, por enquanto não é diferente da realidade de Aline e Jeany.

“Venho com essa preocupação há dias. Pois, todos os anos me organizo em estoque, e acabo na semana tendo que comprar três a quatro vezes mais o estoque inicial para dá conta das encomendas. Como sabemos, a cada ano, a procura por ovos de chocolates artesanais vinha aumentando. E este ano, me organizei para fazer um estoque ainda maior, porém, estou de coração na mão mesmo confiante que, durante o período da Semana Santa, as pessoas tirem o foco da pandemia que estamos passando e possam viver a festividade como nos anos anteriores’’, deseja Ana.

Apesar do desejo, a professora confessa estar pessimista. “Me falta muitas vezes ânimo diante dessa crise. E sei que muitas vezes vem a prioridade nos gastos das pessoas’’. A empreendedora conta que resolveu não reajustar os preços dos produtos, assim permanecem os mesmos praticados em 2019.

“Porém sinto que para atrair as pessoas terei que fazer promoções para que minha expectativa seja atendida. E, se for surpreendente como os outros anos, infelizmente ficará difícil o acesso para a capital para reposição de estoque’’, disse Theresa.

Sobre as entregas, mesmo sendo em uma cidade com cerca de oito mil habitantes e com tudo muito próximo, Ana Theresa afirma que trabalhará com Delivery. “Na divulgação dos produtos já coloco os agendamentos de datas. Me programo para o dia x fazer a quantidade encomendada, e alguns extras – para a pronta entrega’’.

Supermercado diminui em 30% investimento no produto

Alguns supermercados já posicionaram os ovos de chocolate industrializados nas parreiras. Mas a procura ainda está muito baixa segundo o gerente de um supermercado da parte baixa de Maceió. “A procura ainda está baixa. Geralmente as pessoas deixam para próximo da data. De todo modo, está montada porque chama atenção para os consumidores que vier por aqui”, conta o gerente Edmilson Delfino dos Santos, que avalia que a pandemia prejudicou as vendas e por isso, o supermercado precisou diminuir em 30% o investimento nos pedidos de ovos de chocolate junto as distribuidoras.

Ainda de acordo com o gerente, o valor dos ovos de chocolate não aumentou em relação ao ano passado. E continuam com os mesmos fabricantes. “Na verdade, está praticamente tudo com o mesmo valor, houve reajuste em um produto ou outro. Em relação aos valores, a média é de R$ 22 á R$ 70. Isso tudo depende da marca e tamanho do produto.

O gerente conta que tem novidades em ovos de chocolate como o sem açúcar e o zero lactose. “As pessoas estão comprando, mas não como antes. Devido também a crise causada pelo coronavírus’’.

A consumidora Josilene foi ao supermercado e aproveitou para comprar alguns produtos.  “Os preços estão bons e parecidos com o ano passado, o problema é que as pessoas estão sem dinheiro. Mas tem muita variedade de marca, tamanhos, sabores e preços. Como vamos fazer um amigo doce vou ter que levar alguns e também levar bombons que é alternativa para substituir os ovos’’.

 

Fonte: Lucas França / Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH