Economia

20 de janeiro de 2020 14:59

Alagoas lidera ranking nacional em Qualidade de Informação Contábil e Fiscal

Dados do Tesouro Nacional foram divulgados nesta segunda-feira pelo secretário da Fazenda George Santoro

↑ Fotos: Sandro Lima

Alagoas comemora a liderança nacional no ranking em Qualidade de Informação Contábil e Fiscal Estadual do Tesouro Nacional pela consistência nos dados de todo o país no final de 2019. De acordo com o secretário Estadual da Fazenda, George Santoro, fruto do trabalho de uma equipe compromissada liderada por “Ricardinho” contador geral, empatado em 1º lugar com o Espírito Santo.

O estado conta agora com um sistema novo, o Ciaf, que permite publicar relatórios com praticamente dez dias de antecedência. “Conseguimos automatizar diversas rotinas de trabalho da contabilidade”, frisou.

O estado também avançou na economia mais que o restante do país no PIB – Produto Interno Bruto. A receita corrente líquida é outro resultado positivo dando uma perspectiva boa para 2020. Alagoas recebeu recursos da seção onerosa no último dia do ano passado impactando todas as contas, ou seja, crescendo 7,45%. O que aumentou de 2015 para cá mais de R$ 2 bilhões em arrecadação disponível para investimentos.

Conforme o secretário, as despesas totais do estado estão crescendo menos, conseguindo manter os gastos, principalmente com o custeio da máquina pública. Ele salientou que o estado está com todas as dívidas em dia com o Tesouro Nacional diferente de outros estados que optaram em judicializar.

“Os investimentos estão sendo tocados praticamente com recursos próprios, isto é, R$ 526 milhões do Tesouro Estadual. Garantindo uma autonomia grande no diz respeito à infraestrutura, no pagamento dos hospitais, Centros Integrados de Segurança Pública (Cisp), duplicações”, ressaltou Santoro.

Houve uma mudança significativa também na questão da divida pública de Alagoas, sendo segundo George Santoro, um dado que mais impressiona, porque quando o governo assumiu com uma dívida consolidada líquida de 167% e a bruta 178% e terminou 2019 com uma dívida na casa dos 74,2%; e a bruta 103%. “Esse resultado é muito positivo para Alagoas, já que o estado era o quinto mais endividado do país, devendo cair para nono ou décimo lugar, é uma mudança de patamar histórica, conseguindo através da renegociação do contrato e outras negociações, fazendo que tenhamos fôlego fiscal para mais investimentos”, salientou.

No que diz respeito ao resultado primário, George Santoro garantiu ainda que foi acima de R$ 1 bilhão, sinalizando positivamente no que se refere às dívidas pagas pelo estado e ainda ter condições de fazer investimentos. “Com certeza será um dos maiores resultados primários do país no ano de 2019”, disse.

PREVIDÊNCIA

O secretário da Fazenda Estadual explicou que diante das mudanças na previdência que começa em abril deste ano para servidores civis e militares deva impactar no Tesouro Estadual tendo repercussão na contabilidade pública, mudando a classificação, piorando o indicador fiscal de índice de pessoal. “Vamos ter uma melhor clareza de como vai ficar o indicador de pessoal somente depois de abril”.

Fonte: Tribuna Hoje / Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH