Economia

20 de setembro de 2019 09:09

Safra da cana aquece economia da Região Norte

Expectativa do setor é que sejam beneficiadas mais de 18 milhões de toneladas em Alagoas

↑ Safra 19/20 começa com otimismo de continuidade de crescimento na quantidade de cana processada (Foto: Ronaldo Lima / Agência Alagoas)

Com a entrada em funcionamento da segunda usina, a de Santa Maria, de Porto Calvo, para início da safra de cana de açúcar 2019-2020, a economia da região Norte, especialmente nas três cidades onde existem usinas, promete receber um considerável aquecimento nas vendas para os próximos meses. Depois da Usina Santo Antônio, de São Luiz do Quitunde, que foi a primeira a iniciar a safra no dia 5 de agosto, a Santa Maria iniciou na madrugada do último domingo (15) e trouxe também esperança para milhares de trabalhadores da maior indústria do município e também do comércio local, já que a empresa é a principal geradora de empregos da cidade e uma das maiores da região Norte. Nos próximos dias deve entrar também em funcionamento a Usina Camaragibe, de Matriz de Camaragibe.

Apesar da grave crise financeira que enfrenta, a Usina Santa Maria iniciou a safra 2019/2020 e garantiu milhares de empregos de trabalhadores de Porto Calvo, Japaratinga, Maragogi, Jacuípe e de Jundiá, com previsão de moagem de cana de açúcar até fevereiro do ano que vem. Com o início da moagem a expectativa é de um grande aquecimento na economia da cidade, principalmente do comércio, que pretende faturar muito nos próximos meses.

O presidente da Associação Comercial de Porto Calvo, José Ailton Lins, afirmou em nota que a chegada da safra é cheia de boas expectativas. “Representa uma aquecida no comércio local. Com a moagem da usina, o município aumenta seu potencial. Uma grande quantidade de mão de obra foi contratada, e com o pagamento do salário deles, movimenta todo município. Se temos mais profissionais inseridos no mercado de trabalho, mais poder de compras eles vão ter. E com isso, os nossos empresários ganham mais. Na verdade, todos ganham quando chega nessa época com a moagem da usina”, acrescentou o presidente da Associação Comercial.

Na verdade, o pontapé inicial para o ciclo da cana em Alagoas foi dado na primeira semana de agosto pela usina Santo Antônio, localizada em São Luiz do Quitunde, unidade industrial que mantém a tradição de iniciar a moagem em Alagoas.

De acordo com o diretor agrícola da Santo Antônio, Marcos Maranhão, a expectativa é de crescimento de pelo menos 10%. Na safra passada, a Santo Antônio processou 2,1 milhões de toneladas de cana, representando um crescimento de 32% em comparação ao ciclo 17/8. Sozinha, a unidade industrial produziu mais de 166 mil toneladas de açúcar com crescimento de quase 32% ante a moagem passada, além de uma produção superior a 67 milhões de litros de etanol o que representou uma variação positiva de 58% em comparação a safra anterior.

A safra 19/20 começa com uma expectativa de continuidade de crescimento na quantidade de cana processada. A expectativa das entidades que fazem parte do setor sucroenergético alagoano – Asplana e Sindaçúcar/AL – é que sejam beneficiadas mais de 18 milhões de toneladas de cana.

Fonte: Tribuna Independente / Claudio Bulgarelli

Comentários

MAIS NO TH