Economia

19 de maio de 2019 20:29

Investimentos de renda fixa são opção para sair da poupança

Embora ainda seja muito popular entre os brasileiros, a caderneta de poupança deixou de ser uma alternativa interessante para fazer o dinheiro render há um bom tempo

Embora ainda seja muito popular entre os brasileiros, a caderneta de poupança deixou de ser uma alternativa interessante para fazer o dinheiro render há um bom tempo. As regras para a remuneração, instituídas em maio de 2012, atrelaram a aplicação à variação da Taxa Selic, e o resultado não têm sido satisfatório. Neste contexto, investimentos em renda fixa, como o Tesouro Direto e o Certificado de Depósito Bancário (CDB),  se mostram muito mais atrativos.

Em uma análise mais aprofundada: no momento em que a Taxa Selic esteja igual ou inferior a 8,5%, a poupança paga 70% da Selic mais a Taxa Referencial (TR),  que é basicamente nula. Já quando a Selic ultrapassa o patamar de 8,5%, a poupança paga 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR).

Esse modelo de remuneração, que oscila conforme a Selic, é válido para a chamada “nova poupança”, que refere-se aos depósitos feitos a partir de 4 de maio de 2012. Para aqueles que foram feitos antes desta data, vale apenas a segunda regra de remuneração.

No contexto do atual cenário econômico, em que a Taxa Selic está mantida em 6,5%,a remuneração da poupança é de 4,5% ao ano. O percentual em si já é considerado baixo, mas ao verificar uma situação hipotética em que a inflação seja igual ou superior aos 4,5% podemos afirmar que o poupador não teve nenhum ganho.

No entanto, apesar de pouco rentável, a caderneta de poupança segue como a principal ferramenta utilizada pelos brasileiros que poupam. Entre os motivos para esta preferência estão a facilidade, a praticidade e a segurança que ela oferece.

Mas o que cada vez mais pessoas têm descoberto é que é possível encontrar opções de investimento no mercado que também garantem estas mesmas vantagens, porém com um diferencial: são muito mais rentáveis.

Os investimentos em renda fixa são excelentes opções para sair da poupança.

O que é renda fixa?

Investir em renda fixa é uma forma de fazer o dinheiro render de modo mais seguro. É fato que todo investimento implica em correr riscos, mas nesta modalidade eles são muito menores quando comparados aos de renda variável. Isso porque, na prática, o investidor compra títulos, que podem ser públicos ou privados, e lucra com a rentabilidade deles.

Estima-se que, aproximadamente, três milhões de investidores optam pelo mercado de renda fixa para aplicarem seu dinheiro, movimentando mais de R$ 2 trilhões de reais. Portanto, pode-se dizer que os investimentos em renda fixa são, no momento, os grandes substitutos da tradicional caderneta de poupança.

Como funcionam os investimentos em renda fixa

Na prática o investidor “empresta” dinheiro ao emissor dos títulos de dívidas, que podem ser públicos ou privados. No caso dos títulos públicos, o emissor é o Governo, e a compra dos papéis será realizada por meio do programa Tesouro Nacional.

Já os títulos privados são emitidos pelos bancos, e há uma grande variedade de opções disponíveis no mercado.

Abaixo, seguem duas boas opções para substituir a poupança:

1) Tesouro Direto

Investir no Tesouro Direto é uma prática que tem ganhado cada vez mais adeptos. Isso porque é o investimento mais seguro disponível no mercado, uma vez que conta com a garantia do Governo. Além disso, também é a opção mais democrática, visto que é possível começar a investir com apenas R$ 30.

Os papéis variam conforme a rentabilidade, e basicamente, existem três diferentes categorias: os indexados ao Índice de Preço ao Consumidor (IPCA), à Selic  e os prefixados. Todos são mais rentáveis que a caderneta de poupança.

Vale lembrar que a rentabilidade calculada no momento da aquisição do título só será mantida caso a retirada do dinheiro seja feita no prazo acordado. Se houver o resgate antecipado, a remuneração estará sujeita às oscilações do mercado.

Outro aspecto positivo é que os títulos do Tesouro possuem liquidez diária, o que garante facilidade ao investidor na hora de resgatar o dinheiro em espécie.

2) Certificado de Depósito Bancário (CDB)

É outro tipo de investimento em renda fixa muito interessante para fazer o dinheiro render. Na prática, consiste em “emprestar” dinheiro ao banco para que  ele faça a captação de recursos para a realização suas próprias atividades de crédito.

A rentabilidade também  pode ser mais alta do que a da poupança. Para ter essa certeza, uma boa dica é escolher um CDB que renda 90% ou mais do CDI.

As taxas de rendimento também variam entre as instituições financeiras e uma corretora de valores tende a oferecer mais opções e, consequentemente, melhores oportunidades de escolha.

Os CDBs podem ser prefixados, pós-fixados ou híbridos. Os últimos costumam ser vinculados ao Índice de Preços ao Consumidor (IPCA). A maioria também possui liquidez diária, o que facilita o resgate do dinheiro em espécie.

 

 

Comentários

MAIS NO TH