Economia

25 de abril de 2019 08:18

Avianca não vai mais operar em Alagoas

Empresa cancelou cerca de 40 voos com origem ou destino a Maceió esta semana, o que causou transtornos a passageiros

↑ Empresa reduzirá frota para quatro aviões e, a partir de segunda, só vai operar em quatro aeroportos do país (Foto: Reprodução)

Cerca de 40 voos que chegariam e sairiam de Maceió entre o último domingo (21) e o próximo dia 28 deste mês pela Companhia aérea Avianca Brasil foram cancelados.

De acordo com a companhia, os cancelamentos fazem parte de uma possível redução da sua frota e visa minimizar o impacto na sua operação e aos seus passageiros, e que por isso, decidiu efetuar cancelamentos pontuais de voos.

A companhia explica ainda que a lista dos cancelamentos vai ser atualizada diariamente de acordo com eventuais ajustes. Em todo o país, mais de 1.300 voos foram cancelados. A empresa passa por uma crise financeira, e teve que negociar com empresas de leasing. Desta forma a Avianca precisou devolver amigavelmente mais de 18 aeronaves diante da falta de pagamento. As devoluções estão acontecendo aos poucos. E quando for concluída, a companhia ficará apenas com sete aviões na frota.

Por isso, vai operar a partir da segunda-feira (29) em apenas quatro aeroportos. Os voos serão concentrados em Congonhas, Santos Dumont, Brasília e Salvador.

TRANSTORNOS

A advogada Jéssica Menezes e o marido viriam de São Paulo para Maceió, na próxima sexta-feira (26) à noite, mas seu voo está na lista dos cancelados. A empresa deu a opção do reembolso e realocação em outro voo. No entanto, advogada não decidiu porque tinha outros afazeres durante o dia.

“Eu entrei em contato e a empresa deu a opção de pedir reembolso ou viajar em outro voo na sexta de manhã, com escalas e muitas horas até chegar a Maceió. Meu voo seria sexta à noite direto. Ainda não decidi porque  eu e meu esposo temos compromissos sexta durante o dia. A atendente pelo telefone disse que eu poderia ir na loja do aeroporto tentar outra opção. Fui lá, mas não tinha outra opção ainda. Ela falou que talvez consiga se eu tentar ir na quinta à noite ou na sexta na hora do voo para eles tentarem me colocar em outra empresa, mas também não era garantido”, comenta a advogada dizendo que a opção do reembolso não é viável para ela. “Os voos agora estão o triplo do preço, então não vale muito a pena pedir o reembolso’’.

ABIH: setor hoteleiro não será afetado

 

Apesar dos cancelamentos de voos, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas (ABIH/AL), Milton Vasconcelos, disse que o setor não irá ser afetado. “Não tivemos cancelamentos. O que está existindo é a readequação da data. Por exemplo, quem chegaria no dia 30, vai dar entrada no dia 1º. Cancelamento mesmo tivemos um caso isolado em um dos hotéis da capital”.

ORIENTAÇÕES

A Avianca vai entrar em contato com os passageiros afetados pelo cancelamento de voos para oferecer reembolso ou opções de reacomodação. E orienta que caso o voo não esteja na lista dos cancelamentos, o usuário deve ficar tranquilo. “Nenhuma ação é necessária e seu voo será mantido conforme o programado. Para evitar transtornos, solicitamos que chegue ao aeroporto de partida com 4 horas de antecedência, para que o embarque seja organizado com a maior tranquilidade possível’’.

Já para as pessoas que estão na lista dos voos cancelados, a orientação é solicitar o reembolso. “Caso seu voo esteja na lista e você tenha comprado sua passagem pelo site, aplicativo, call center ou lojas da Avianca Brasil, você pode solicitar seu reembolso em: www.avianca.com.br/reembolso. No formulário, selecione o motivo Cancelamento de voo gerado pela Avianca. E caso seu voo esteja na lista e você tenha comprado sua passagem por meio de uma agência ou site de viagem, você deverá entrar em contato diretamente com essas empresas”, esclarece.

Cliente lesado pode acionar Justiça, diz OAB

 

O presidente da Comissão de Direito do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL), Rafael Acioli, explica que caso o passageiro se sinta lesado ele pode abrir uma ação contra a companhia aérea.

“A empresa realmente está passando pelo um processo de recuperação judicial, desde dezembro de 2018 quando deu entrada, e agora em abril foi aprovado um plano de recuperação. Só que nos últimos dias, a empresa diminuiu as frotas da aeronave que eram financiadas. Houve a diminuição de 50%. Com isso, as vendas antecipadas das passagens fizeram com que a empresa não conseguisse cumprir. E na Semana Santa começaram os cancelamentos, a estimativa é que até o fim do mês é de três mil cancelamentos. Alguns passageiros estavam sendo realocados e hoje [quarta-feira, 24] não mais. A nossa recomendação é que o passageiro tenha a opção de escolha, realocação do voo ou reembolso da passagem. Isso é uma opção do passageiro não do fornecedor”, explica Acioli.

Mas, segundo ele, como a Avianca não está mais operando em Alagoas, quem tiver partindo de Maceió não vai ter a opção de realocação de voo.

A solução seria ser realocados para outras linhas como a Azul e a Gol, como estavam fazendo na semana passada. Hoje [quarta, 24], ficamos sabendo que a Avianca não está fazendo isso. A nossa orientação é que o consumidor peça a realocação, isto porque ele não irá conseguir comprar a passagem em mesmo valor. Mas o consumidor tem que avaliar o que seria melhor para ele. Lembrando que tanto a realocação quanto reembolso pode trazer outros transtornos. E a Avianca deve sanar os danos materiais e moral caso eles sejam comprovados. Mas cada caso é um caso e deve ser avaliado unitariamente, pois se o consumidor não conseguir cancelar outros serviços de passeios, hotel, por exemplo, a companhia é a responsável pelos prejuízos”, ressalta o advogado.

ACORDO

De acordo com Acioli, a Avianca firmou acordo com o Procon e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que iriam informar no prazo de no mínimo 72h aos passageiros sobre os cancelamentos. “Mas quem se sentir lesado pode abrir uma ação nas esferas do poder’’.

A Anac, informa que em caso de cancelamento ou de alteração do voo por iniciativa da Avianca, o passageiro deve ter os seus direitos respeitados, disponíveis para consulta no portal da Anac na internet e reclamações podem ser feitas pela plataforma Consumidor.gov.br e, caso não sejam atendidas, o passageiro poderá recorrer aos órgãos do Serviço Nacional de Defesa do Consumidor.

REEMBOLSO

De acordo com a companhia, o estorno será realizado em até 07 (sete) dias. Já para bilhetes pagos com cartão de crédito, o estorno deve vir em sua próxima fatura. E para bilhetes pagos com boleto bancário, o dinheiro será depositado na conta corrente indicada.

Em relação à descontinuação de alguns voos internacionais, a Avianca explica que, desde o final do ano passado a empresa estava revisando a malha, para ajustá-la à atual demanda de passageiros. E, para consolidar essa otimização, algumas rotas foram descontinuadas. ‘’Estamos trabalhando para garantir a sustentabilidade do negócio e manter a excelência do atendimento, que está em nosso DNA’’.

 

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH