Economia

23 de outubro de 2018 09:06

Novas formas de turismo chegam à região Norte

Iphan propõe ações conjuntas, especialmente na área cultural, como a construção do parque histórico de Porto Calvo

↑ Descoberta do forte abre novas possibilidades para investimentos no turismo com base na cultura e na rica história dessas cidades litorâneas (Foto: Prefeitura de Porto Calvo)

O Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan) propôs em reunião realizada durante a semana, novas formas de exploração do turismo para a região Norte de Alagoas. As ideias foram lançadas em evento realizado em Porto Calvo para gestores municipais e empreendedores da iniciativa privada ligados ao turismo de lazer e aquele cultural. O órgão estadual propõe ações conjuntas e integradas de turismo e cultura para a região.

O Litoral Norte é conhecido mundialmente pelas paradisíacas praias, mas há outros elementos que faltam ser explorados pelos turistas que chegam de todas as partes do planeta. A região recebe milhares de pessoas por ano e esses turistas basicamente curtem as praias e meios de hospedagem. A ideia é que novos elementos sejam inseridos no calendário para atrair esses mesmo visitantes e outros, interessados em novas descobertas.

A proposta do Instituto foi apresentada em uma reunião em Porto Calvo, tendo como objetivo principal em propor o turismo de imersão, ou seja, paisagem mais gastronomia e mais cultura.

Esse modelo inclusive levou o norte de Portugal à 3ª posição de destino turístico da Europa. A ideia é que investir no turismo cultural da região é ampliar o tempo de lazer, de forma a encorajar o turista há permanecer mais tempo visitando a região.

O projeto do Iphan do turismo de imersão nasceu com base no estudo histórico arqueológico na bacia do Rio Manguaba até a zona urbana de Porto Calvo. O levantamento evidenciou que há um potencial arqueológico praticamente desconhecido no Brasil.

As cidades mais beneficiadas seriam Porto Calvo, Japaratinga, Porto de Pedras e Maragogi.

O órgão também propõe a possibilidade de construção do parque histórico de Porto Calvo com um trajeto pelo Manguaba que passará também pelos municípios de Japaratinga e Porto de Pedras.

HOLANDESES

O Fortim Bass, construído pelos holandeses na época da Alagoas Boreal, será um dos principais pontos de referência do parque. A fortificação na Ilha do Guedes é mais integro e completo fortim do período holandês no Brasil. O Icoforte, uma instituição cultural, propôs a UNESCO que o Fortim Bass seja posto para reconhecimento   de patrimônio mundial.

O Iphan também apresentou também as ideias do Museu do Forte Bom Sucesso (Forte das Batalhas), também em Porto Calvo; rotas turísticas; encenações de batalhas (Ilha do Fortim Bass e Batalha da Mata Redonda), além do Museu de Arqueologia Subaquática (Porto de Pedras e Maragogi).

Os empresários e gestores saíram satisfeitos com as propostas apresentadas. Uma nova reunião será marcada para novembro em Porto de Pedras. Após o encontro, pesquisadores, gestores e empresários fizeram uma visita técnica ao Fortim Bass, na Ilha do Guedes, em Porto Calvo.

Fonte: Tribuna Independente / Claudio Bulgarelli

Comentários

MAIS NO TH